Vinhos para o Projeto Verão

Fim do ano se aproximando, todo mundo fazendo dieta e postando selfie nas academias, muita gente correndo atrás do prejuízo de um ano inteiro, não é não?! #tapago

Mas se você não abre mão de um vinhozinho mesmo com uma dieta mais leve, o post de hoje é pra você.

Como escolher vinhos interessantes e que combinem com pratos relacionados às dietas para perda de peso? Peguei algumas dicas com nossa nutri do AE (e fofíssima) Marja Antonello e dividi as recomendações por categoria.

Desde já esclareço que não estou discutindo dietas e muito menos a inclusão do vinho nelas, mas apenas sugerindo bons vinhos que harmonizam com ingredientes que geralmente entram nos cardápios.

  1. Saladas com molhos cítricos: Geralmente as saladinhas de dieta não acompanham molhos cremosos e com mais gorduras, mas sim ingredientes mais cítricos como limão e vinagre e por isso é importante termos um vinho que acompanhe a acidez dos mesmos para não desaparecer. A opção mais fácil é a Sauvignon Blanc, encontrada com facilidade nas lojas e supermercados. Também são bons parceiros os vinhos verdes, os rosés da Provence e os chardonnays sem madeira. Se a salada levar um molho cremoso ou grãos (grão de bico, trigo ou feijão branco) podemos acrescentar textura também ao vinho: Chardonnays amadeirados e Viognier são boas opções, assim como os rosés da Provence permanecem no páreo.
  2. Omeletes: A gema  provoca uma cobertura das papilas e dificulta as harmonizações. Mas uma omelete recheada com legumes, cogumelos ou verduras ajuda a disfarçar essa sensação e combina muito bem com brancos aromáticos e jovens.  Chenin Blanc Sul Africano, Chardonnay sem madeira, Orvieto, Arinto são ótimas opções. Corra dos tintos encorpados…
  3. Oleaginosas: Evite vinhos muito tânicos. Bons parceiros são os brancos maduros (Borgonhas ou Chardonnays de Novo Mundo, Rieslings…), Tintos como Bardolino, Pinot Noir e os vinhos de Jerez (Fino ou Manzanilla. Para quem quiser uma experiência diferente, os vinhos da região de Jura podem provocar boas sensações.
  4. Grelhados: Se forem de carnes vermelhas, podemos ir de um Chardonnay amadeirado a tintos encorpados, passando por Chiantis. Peixes brancos grelhados com legumes e salada pedem um branco leve e ácido. Da mesma forma que com as saladas, ao acrescentar textura com molhos ou crostas, por exemplo, podemos alterar o vinho para um branco mais encorpado.  Peixes mais gordurosos, por sua vez, como Salmão e Atum, são parceiros de brancos encorpados, rosés ou tintos leves de gamay ou pinot noir. Vai de frango grelhado? Trebbiano e Chardonnay vão deixar o prato mais prazeroso.

A dica de ouro é: Na dúvida, vá de espumantes: Alta acidez e frescor os tornam os harmonizadores universais! E combinam como ninguém com as temperaturas mais altas.

E finalmente meu obrigada aos colegas de estudos de vinhos do WSET (Elaine e Gabi Frizon) que contribuíram com as pesquisas para as harmonizações.

Até a próxima coluna, Keli Bergamo.

Leia também...

Deixe um comentário