Vegetariano pode tomar Vinho Tinto?

Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa…

Ouço muito esse tipo de perguntas, especialmente porque ao propor diretrizes enogastronômicas nas fichas técnicas, alguns sommeliers se esquecem que o mundo come menos carne. De acordo com a Vegan Society, “os veganos e vegetarianos constituirão um quarto da população britânica em 2025, e os flexitarianos (semivegetarianos) quase a metade de todos os consumidores do Reino Unido.

No mundo todo tem muita gente deixado esse hábito de lado e nós temos que buscar alternativas gostosas de harmonização que atendam os vegetarianos e que não os impeçam de tomar tintos mais encorpados e intensos.

Primeiro, importante lembrar que para quem é vegano, é possível consumir vinhos que não utilizem nenhum tipo de insumo de origem animal, Se quiser entender melhor sobre isso, clique aqui. 

Agora, se você é vegetariano ou simplesmente não quer nada de origem animal em determinado dia, vou lhe dar algumas opções interessantes para harmonização:

A carne limita um pouco as harmonizações? Sim, pois textura e combinações químicas entre os elementos garantem o casamento perfeito, mas dá sim para adaptar pensando em alternativas com métodos de cocção que “cubram” as ausências que as proteínas deixariam.

Primeiro é importante lembrar que o método de cocção pode auxiliar nessa combinação: cozimentos a vapor ou em água deixam os alimentos com a textura muito mais macios e isso dificulta um pouco o alcance dessa textura que desejamos.

Grelhar, assar são sempre formas bem vindas nesse contexto. Aliás, já escrevi sobre esse assunto aqui. 

Mas vamos às dicas:

  • Saladas e vegetais verdes: A combinação aqui é difícil. Molhos mais ácidos podem ser agressivos demais aos tintos, bem como os problemas quanto a textura e peso do prato em comparação aos vinhos. Nada impede, no entanto que uma folha seja levada a brasa e na companhia de um belo molho denso e especiado e faça uma combinação inovadora e deliciosa.
  • Cogumelos: Esses são ponto chave na combinação. Os mais leves e frescos pedem vinhos com baixos taninos e mais frutados como Beaujoalis, Pinot Noir. Se a opção for por vinhos mais complexos como os baseados em Sangiovese e Nebiollo, o porcini ganha espaço.
  • Tomates: Confira mais intensidade ao molho assando os tomates antes de processá-los. Adicione especiarias e condimentos. Vá calibrando conforme seu vinho!
  • Cozidos especiados a base de legumes ou raízes mais adocicados: Essa dica eu ainda não testei mas achei incrível. Uma sopa ou um guisado de abóboras ou batata doce com toques bem apimentados com Merlot brasileiro ou um Grenache do sul da França (ou garnacha espanhol).
  • Pratos com mais gordura: Lasanhas vegetarianas, estrogonofe de soja e tantos outros podem acompanhar bem Cabernet ou outros vinhos mais encorpados

Curtiu as dicas? Não deixe de provar bons tintos por medo de não saber harmonizar. Conte com a gente e acesse nossos outros artigos para mais informações.

Até a próxima coluna, Keli Bergamo28

Leia também...

Deixe um comentário