Não esquecemos dos valores de projeto que foi prometido. Mas esse tema é um pouco complexo, apesar de que hoje vamos pôr os números para jogo.

A complexidade de se falar em valores começa pelo tamanho do Brasil, pela diversidade de renda e de custos de vida regionais, além das possíveis formas de cobrança.Vamos falar primeiro então de como pode ser que o seu orçamento seja confeccionado:

Aqui na nossa região que é o Sul do país, uma cidade de médio porte no interior do Paraná, mais de 90% dos escritórios é acostumado a cobrar e os clientes a pagarem por metro quadrado. Atualmente, em capitais e grandes centros, os valores são calculados mais comumente por hora, ou ainda há uma forma de cobrança que é baseada em um percentual do valor global da obra.

Sobre os formatos que não utilizo, eu não posso defender muito. A cobrança por tempo eu nunca consegui defender perante um cliente, e todas as vezes que fiz um orçamento com meus valores baseado em tempo, eu perdi para outro colega que cobrou por metro quadrado. E como nós nunca fazemos apenas um projeto só eu não sei quantificar com certeza quanto tempo foi despendido em cada trabalho.

Talvez esse formato possa funcionar para profissionais que conceituam projeto e tem associados ou estagiários que fazem “fisicamente” o desenvolvimento. Nós que desenvolvemos e atendemos nossos clientes pessoalmente, as vezes estamos com dois projetos abertos simultaneamente e no whatsapp acompanhando um terceiro. Mas essa é a minha visão, a minha experiência sobre esse método de cobrança de valores.

Já a versão que cobra baseado em valores gastos na obra eu ia passar fome, pois estou sempre procurando opções de valores menores, versões de produtos com melhor custo benefício. E definitivamente a vida já me ensinou que não se entrega projeto nenhum sem receber. Teve vezes que optamos por esse tipo de cobrança para compra de decoração (quadros, estátuas, tapetes, sofás). Aí depois de definir tudo o cliente dizia que ia comprar em etapas… mas ele já tinha definição de tudo então depois nunca retornava para comprarmos o restante e esses valores ficavam sem serem acertados conosco por toda eternidade… mas a casa tá linda, pronta, postando foto no Instagram no sofá que especificamos e que o ser humano comprou depois e não repassou nosso honorário. Existem profissionais que limitam um valor mínimo para obra, de modo que, se o cliente não vai gastar um valor mínimo ele não faz o projeto.

Por fim, a forma de cobrança mais usual por aqui, o metro quadrado. Como eu já expliquei aqui o projeto de interiores é composto de vários outros, muitas etapas e varia conforme a complexidade.

Outro fator que difere valor, e por isso um projeto de interiores pode variar de R$ 45,00 até centenas de Reais por metro é o nicho de cliente que o profissional foca em atender.

Quem atende clientes mais jovens, com imóveis de menor valor também terá uma tabela com valores de honorários condizente com esse perfil de cliente. Quem atende mansões e trabalha com projetos com itens de luxo e clientes com altas exigências vai cobrar mais caro pelos seus serviços. Tempo de atuação e especializações também vão acrescendo os valores praticados por cada escritório.

Por exemplo os valores para um cliente que nos contrata para fazer arquitetônico e junto o projeto de interiores tem um desconto de 20% pois a gente já vai desenvolvendo tudo junto.

valores de projeto

Um cliente que nos chama para fazer interiores completo (mobiliário, paginações, revestimentos, gesso, iluminação, pontos hidráulicos, elétricos, gás, decoração e cenografia) tem um desconto de 25% sobre cada item. Essa política é do nosso escritório, não posso garantir que outros trabalhem da mesma forma.

Ainda assim, a forma de cobrança que adotamos não é xiita. Analisamos ao confeccionar nossas propostas a complexidade dos ambientes. Não dá pra cobrar o mesmo valor de metro quadrado de uma suíte e uma lavanderia. Um banheiro é muito mais complexo do que uma garagem que é proporcionalmente muito maior, então essas concessões precisam ser feitas e valores adequados.

Outro fato que acontece com frequência é o cliente ir para um imóvel e não “demolir tudo” para começar do zero, então se desconta por exemplo piso, que será mantido, ou gesso. Cada caso precisa ser estudado individualmente.

Agora, colocando os números na mesa, nossa tabela máxima passa de R$ 100,00 por metro, que ao ser contratada completa fica próxima dos R$ 80,00. Contudo, como eu explanei anteriormente, após uma análise de complexidade esses valores geralmente diminuem. Esta semana um projeto de uma casa acima dos 200 metros quadrados que tinha vários ambientes menos complexos acabou fechando o metro quadrado global abaixo dos R$ 60,00.

Provavelmente esse seja o motivo de ser tão difícil encontrar na internet alguma noção de valores de projeto. A realidade é que todo este cálculo é  muito variável, ainda que muita gente acredite que somos parte de uma grande seita que não divulga seus preços, eu garanto que não.

Leia também...

Deixe um comentário