Traqueobronquite canina

“Tosse dos Canis”- Traqueobronquite infecciosa canina.

O outono chegou e com a variação nas temperaturas, nossos cães começam a apresentar tosses e secreções nasais. Será que eles também ficam resfriados neste período? Sim, eles também podem apresentar “gripes e resfriados”. Sendo os vírus e as bactérias causadores destes problemas neste período e a isso damos no nome de Traqueobronquite infecciosa canina.

Mas como ocorre a transmissão?

Da mesma forma que ocorre em humanos. Um cão está predisposto a desenvolver a infecção em locais com muitos outros cães, por exemplo, os animais que frequentam pet shop, creches, canis.

Quais são os sintomas da Traqueobronquite?

Os cães acometidos apresentam sinais clínicos de tosse sendo ela produtiva ou não, que se intensifica quando o animal se agita ou quando a coleira promove uma pressão sobre o pescoço ou até mesmo quando se palpa a traqueia e induz facilmente a tosse.

Geralmente a tosse apresenta remissão espontânea após alguns dias, ao tutor indicamos que evite neste período a exposição do cão aos exercícios ou que se agite, minimizando desta forma a irritação continua das vias respiratórias.

Atenção:

É importante comentar que animais que apresentam sinais clínicos de dificuldade respiratória, perda de peso, falta de apetite persistente e secreções muito produtivas devem ir ao veterinário, pois podem estar, juntamente ao resfriado, acometidos por alguma outra doença mais séria que se intensificou devido ao sistema imunológico estar comprometido.

A Traqueobronquite pode ser prevenida através da vacinação?

A vacinação não impede que o animal seja infectado, mas o ajuda a responder apropriadamente à infecção sem apresentar sinais clínicos mais graves.

Uma boa nutrição, vermifugação rotineira e prevenção do estresse também são formas de garantir que o cão não seja acometido com frequência por este problema.

A vacinação contra a traqueobronquite pode ser realizada a partir de 6 a 8 semanas de vida, sendo realizada uma dose e outro reforço após 2 a 4 semanas. Após este protocolo, a vacinação se torna anual.

Fique atento as vacinas do seu cão, elas podem prevenir muitas complicações futuras!

E qualquer dúvida sobre os protocolos vacinais, entre em contato com o médico veterinário de sua confiança, certamente ele irá orientar e fazer sempre o melhor para seu animal se estimação.

Até a próxima!

Eduarda Mansour.

Leia também...

Deixe um comentário