Qual a diferença entre os tipos de arroz?

O arroz é um alimento que ocupa posição de destaque na dieta do brasileiro, sendo consumido por todas as classes sociais e por diversos povos, nas mais diferentes preparações. Seu consumo é maior na presença de leguminosas, como o feijão, tornando esta mistura uma fonte protéica de alto valor biológico (que contém todos os aminoácidos essenciais que o nosso corpo não é capaz de produzir).O arroz não contém glúten, pode ser consumido por celíacos (indivíduos que apresentam intolerância a alimentos à base de trigo, centeio, cevada e aveia), apresenta alta digestibilidade e dificilmente provoca alergias.

É possível encontrar no mercado diversas variedades de arroz: branco, integral, vermelho, arbório, basmati, cateto, jasmim, preto, selvagem e também o parboilizado. Mas você sabe qual é a diferença entre eles?

tipos de arroz

»» O Arroz branco ou polido é o mais consumido no Brasil, porém o menos nutritivo, pois, ao passar pelo processo de refino perde boa parte das fibras e vitaminas. No dia-a-dia, é utilizado em função da rapidez no cozimento, textura solta e paladar agradável.

arroz branco

»» O Arroz integral preserva a película e ogérmen, onde se concentram as fibras, vitaminas e minerais. As fibras ajudam no bom funcionamento do intestino e no controle do colesterol, além de aumentarem a sensação de saciedade.

Arroz-integral-emagrece

»» O Arroz parboilizado possui elevado valor nutricional, pois sofre um processo de cozimento dentro da casca, preservando os nutrientes e as fibras.

arroz

»» O Arroz preto apresenta grão escuro, curto e arredondado, textura firme, sabor exótico e aroma diferenciado. É rico em compostos antioxidantes, vitaminas E e do complexo B, além de proteínas e fibras. Geralmente, está presente em receitas elaboradas, como risotos, peixes de sabor acentuado, frutos do mar e carnes de caça.

arroz-preto-negro

»» O Arroz vermelho é parcialmente polido, portanto, ele retém maior número de nutrientes e a sua composição se destaca pelo alto teor de ferro e zinco. Tem sabor levemente defumado, sendo indicado para fazer bolinhos, saladas e para acompanhar carnes brancas, como peixe e frango.

arroz vermelho

»» O Arroz arbório possui boa quantidade de amido e deixa os pratos mais cremosos, sendo bastante utilizado em risotos, principalmente na culinária italiana.

arroz-arborio

»» O Arroz selvagem é o mais caro de todos, mas também o que tem a melhor composição nutricional. Possui alto teor de fibras e proteínas e baixo teor de carboidrato. Além disso, é rico em ferro.

arroz-selvagem

»» O Arroz cateto, também conhecido como ‘japonês’, apresenta grãos curtos, com grande quantidade de amido, o que confere após o preparo uma textura mais macia e cremosa.

arroz-cateto-integral

»» O Arroz basmati é advindo do Paquistão e da Índia. Seus grãos ficam bem secos e soltos, após o cozimento. É conhecido como um grão de qualidade superior. É considerado leve e acompanha pratos que levam condimentos como curry ou pilaf.

arroz-basmati

A tabela abaixo mostra a composição de macronutrientes dos tipos de arroz:

arroz_tabela

Com relação aos tipos de arroz, o tipo 1 é selecionado com relação a defeitos e o pacote possui no mínimo 92,5% de arroz inteiro, ficando sempre bonito e solto depois de cozido. Já o tipo 2 tem o dobro de defeito, ou seja, é pouco selecionado e também tem maior número de grãos quebrados, chegando a 15%, e o resultado é um arroz mais empapado e também não uniforme depois de cozido. O arroz tipo 3 tem qualidade inferior, com até 25% dos grãos com defeitos e quebrado. É um arroz mais barato, porém de menor qualidade.

Para o arroz tipo 1 e 2, cada 1 xícara (chá) do grão pede 2 xícaras (chá) de água fervente. No caso do parboilizado é necessário meia xícara (chá) a mais de água.

arroz branco e integral

Este texto foi retirado do site www.nutritotal.com.br 🙂 Para acessá-lo é só clicar AQUI 

Como diminuir em até 60% as calorias do arroz:

A receita foi testada em 38 tipos de arroz do Sri Lanka, na Ásia. Os pesquisadores que fizeram o estudo misturaram uma colher de chá de óleo de coco em água fervente, depois adicionaram meia xícara de arroz e deixaram que acontecesse o processo normal de cozimento (eles cozinharam a mistura por 40 minutos – mas constataram que 20 a 25 minutos é suficiente). Depois de pronto, o arroz ficou por 12 horas na geladeira. Pode ser reaquecido na hora de consumir 😀

Explicação: Este processo transforma o amido digerível em amido resistente. Enquanto a forma digerível é transformada em glicose (açúcar) pelo nosso organismo, que se não for utilizada, será armazenada e se transformará em gordura corporal; a resistente escapa à digestão e é fermentada no intestino grosso. Estudos recentes apontam que esse processo pode ser benéfico à flora intestinal e ainda ajudar a manter a glicemia estável.

Procure o seu NUTRICIONISTA  para saber se você pode usar essa técnica quando preparar o arroz.

arroz branco

Leia também...

Deixe um comentário