Quer pagar quanto? Mobiliário

Mobiliário é uma das maiores fatias no bolo de orçamentos de uma casa nova. Nem todo mundo tem fôlego financeiro para fazer a casa inteirinha, bem plena e barbiezinha sem se preocupar com valores.

Então GentEEEeee, vem dar uma olhadas em algumas dicas:

Bora revivê umas dicas de um post que perdemos? Hoje vou falar de formas de se baratear seu projeto de mobiliário.

São coisinhas que muitas vezes fazem diferença no valor e não na funcionalidade. Digo isso porque em alguns lugares eles falar para você tirar coisas do mobiliário que te trazem conforto e maior durabilidade, como corrediças ocultas e/ou amortecimento, e acredite esses dois não devem ser simplificados.

Foto de Ivan Samkov no Pexels

Primeiro de tudo: Marcenaria costuma ter preço melhor, mas não existe mágica, algo vai sofrer. Então caso for comparar um BOM marceneiro com uma BOA loja de móveis, tenha em mente que deve comparar:

Espessura de chapa;

Tipo de ferragem e divisões;

Tipo de portas;

Prazos;

Garantia;

Parcelamento (caso precise).

Como diria meu amigo Jack: Vamos por partes.

Espessura: Os padrões de chapa mais comuns utilizados em mobiliário no Brasil (mdf/mdp) são nominais: 10mm; 15mm; 18mm; 25mm. Também é comum ver em marcenarias o uso de 3 ou 6mm como fundo de mobiliário.

Já ouvi animosidades de lojas mais simples, que diziam que uma prateleira de 30mm apenas come espaço do seu closet, que 15mm é suficiente. GentEEEEeee, entorta tudo. Não dá pra guardar por exemplo 10 camisas em um cabideiro e a prateleira não virar um sorriso no meio do armário.

As ferragens são o item mais caro do orçamento de móveis. Corrediças sempre ocultas, pela melhor durabilidade, pelo menor risco de machucados e facilidade de manutenção.

Essa é a telescópica, mais comum:

A telescópica é barata, porem muita gente se machuca nessa ferragem, para desmontar precisa de ferramentas e ela não oferece um sistema de amortecimento próprio, ou seja, quando tem é um RTA – recurso técnico alternativo – também conhecido por gambiarra. Esse modelo também perde mais ou menos 5 centímetros de gaveta para acomodar as corrediças.

Essa é a corrediça oculta (ou invisível dependendo da sua região):

Nela a gaveta fica “sentadinha” em um quadro de metal que corre então toda a parte de engrenagens, lubrificação está mais protegido. Ela também otimiza o tamanho das gavetas.

Sobre as divisões de mobiliário, tenham em mente que a ferragem é o caro, então 3 portas de 40cm vão custar mais caro que 2 portas de 60cm. Gavetas, por favor, parem de fazer 2 fileiras de gavetas de 40/45 centímetros de largura, façam uma larga de 80/90cm de largura e economizem tanto em dinheiro quanto em espaços.

O espaço perdido para ter 8 gavetas de 45cm invés de 4 gavetas de 90cm equivale a uma gaveta de 45cm. Até fiz uma imagem “técnica” no programa mais comum de se desenvolver mobiliário para mostrar o quanto essa “divisão” faz você perder espaço:

Exatamente, aproximadamente 16 centímetros em cada fileira, sem contar que como já expliquei, as ferragens encarecem o orçamento, então além de desperdiçar espaço, estão jogando dinheiro fora.

Outra coisa: Cabideiros guardam muito mais roupas do que prateleiras. Inclusive, substitua calceiros de aramados por cabides baixos e duplique a quantidade de armazenagem.

Tipos de portas, quando eu me refiro a isso é a diferença em portas de correr, portas de giro, e sim, a porta deslizante é geralmente 30-35% mais cara que a porta comum. Mas também precisamos nos atentar para a maneira que ela é apresentada.

Uma porta com quadro em alumínio é muito mais leve e por isso dura muito mais do que uma porta de madeira com um espelho colada por cima.

Esse tipo de porta, em mdf/mdp com uma aplicação de espelho por cima costuma dar defeito em menos de um ano. É porta que não fecha- fica sempre uma fresta. Porta que sai do trilho com facilidade, porta que entorta… tudo por causa do excesso de peso nos sistemas, seja de dobradiça ou de correr.

Em prazos, vai depender muito da sua localidade, mas a maioria das lojas de móveis costumam pedir entre 45 e 60 dias de prazo, enquanto para marcenarias geralmente é 30 a 45 dias. Garantia é muito válida pois respalda você de problemas com esses usos do dia a dia, que as vezes demoram um pouquinho para aparecer. Lojas costumam ofertar 5 anos e marcenarias 2 anos.

E por fim, se você vai precisar um grande parcelamento, marcenarias menores terão uma maior restrição nesse momento. Algum vão te pedir cheque (lembram desse negócio?) outros cartão de crédito, mas dificilmente um financiamento próprio ou junto a um banco.

Alguma dúvida?

Conta pra nozes nos comentários.

Até breve,

Lelo

Leia também...

Deixe um comentário