Sei que eu já escrevi sobre a terapia sexual, mas me deparo com muitas pessoas me perguntando o que é um sexólogo e o que ele faz. Muitos desconhecem e deixam de procurar ajuda por tabus e pré-conceitos, ou procuram a ajuda de uma maneira inadequada intensificando o seu problema. Existem dificuldades mais tranquilas que apenas com algumas orientações já se consegue um bom resultado, e outras que é necessário ter muito cuidado na aplicação de intervenções e exercícios. Por isso a importância de compreender o que é um sexólogo.

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que não é qualquer pessoa, com qualquer formação profissional que pode ser um sexólogo e realizar a terapia sexual.

A sexologia é uma ciência que abrange o estudo do comportamento sexual humano em todas as fases da vida, desde bebês, crianças, adolescentes, adultos, idosos… englobando assim diversos aspectos biológicos, psicológicos, culturais e religiosos, sendo cada indivíduo único na construção do seu ser, incluindo a sua sexualidade.

Por envolver estas questões, não basta apenas ter algum conhecimento sobre o comportamento sexual para trabalhar com a terapia sexual. É importantíssimo ter uma formação com base no biológico e no psicológico, e para isto, médicos (urologistas e ginecologistas), psicólogos e fisioterapeutas possuem esta formação que os capacita a analisar, compreender, trabalhar cada um em sua área como também direcionar para o profissional adequado visando proporcionar uma saúde com mais qualidade para seu paciente, adequando o tratamento a cada pessoa em específico.

Antes de estudar a sexologia, estas graduações são importantes para cada profissional trabalhar em sua área buscando ajudar uma pessoa com problemas relacionados à sexualidade. Estudar a sexologia nos ajuda não apenas a compreender e saber mais sobre o comportamento sexual, como também possuir técnicas capazes de ajudar quem nos procura com alguma dificuldade. Estas dificuldades podem ter causas biopsicossociais, ou seja, biológicas, emocionais e sociais.

Essas técnicas precisam ser aplicadas com muito cuidado, compreendendo quem é o paciente, sua história, suas individualidades sócio-história-cultural-religiosa, pois cada pessoa possui uma história dessa dificuldade, e ao invés de ajudar, pode interferir negativamente em um processo de melhora.

A sexualidade é influenciada por inúmeros fatos, seja pela história de vida, estresse, insegurança, medo, baixa autoestima, dificuldades no relacionamento entre outros, que precisam ser identificados para direcionar o tratamento. Percebo que em muitos casos, deve-se trabalhar o relacionamento em uma terapia de casal, vou citar um exemplo comum em consultório:

  • Uma pessoa que está tendo baixo desejo sexual pode ser o reflexo de conflitos no relacionamento, como a falta de comunicação, brigas constantes, rotina, comodismo ou outros problemas vivenciados, e que ao ser trabalhados este conteúdo com o casal, este desejo pode reaparecer. E para trabalhar isto na terapia de casal, o profissional precisa ser um psicólogo.

O sexólogo (terapeuta sexual) é um profissional que irá auxiliar o paciente a entender a sua sexualidade, encontrando as dificuldades sexuais e trabalhando com elas, podendo envolver traumas, mitos e preconceitos que limitam a sua vida sexual.

As dificuldades sexuais são diversas:

  • Falta de desejo sexual – dor na penetração – ausência de orgasmo – perda da ereção – ejaculação rápida ou demorada – compulsão sexual – vícios por pornografia – entre outros que causam um prejuízo e um sofrimento para a vida da pessoa.

O psicólogo com formação em sexologia, irá realizar a terapia sexual individual ou de casal, trabalhando questões emocionais que dificultam uma vivência sexual plena, aplicando intervenções e exercícios como um auxílio para uma melhora.

Apenas a terapia sexual (em alguns casos agregando a fisioterapia uroginecológica) é eficaz quando a queixa não depende de condições orgânicas. Mas, sempre é indicado realizar exames ginecológicos ou urológicos como também exames de sangue para averiguar os hormônios e identificar se há uma alteração ou distúrbio hormonal. Lembrando que é de extrema importância, anualmente, frequentar o consultório do seu médico mesmo não tendo nenhuma dificuldade sexual.

Se estão enfrentando alguma dificuldade, converse com o seu parceiro ou a sua parceira para procurarem ajuda de um profissional especializado. Quanto mais rápido procurar uma ajuda, mais rápido poderá ter uma harmonia em sua vida sexual.

Abraço,

Adriana Visioli.

Leia também...

1 comentário

Avatar
Everaldo Abrahão 12 de agosto de 2019 - 16:36

OLá. Sempre acompanho seus artigos. Muito me enriquecem em aprender cada vez mais. Seu conteúdo
é TOP. Obrigado !

Responder

Deixe um comentário