Se você está lendo esse texto, saiba que eu o escrevi agorinha, nos 45 minutos do segundo tempo.

Já tem um tempo que isso me acompanha e me atrapalha e então, resolvi falar sobre um possível mal do século. Meu pelo menos é!

Procrastinar é uma palavra bonita, mas o resultado dela nem sempre é e isso me perturba há um certo tempo, porque infelizmente, sou ótima nisso.

Segundo o psicólogo Timothy Pychyl, da Universidade Carleton a definição de procrastinação é basicamente que  “Você sabe o que deve fazer e não é capaz de fazer. É uma lacuna entre intenção e ação.

Eu não sei o porquê isso parece fácil: adiar o cumprimento de uma tarefa que precisa ser realizada. Mas graças a meu companheiro tenho tentado me organizar e algumas coisas tem funcionado, pois é bem difícil ser procrastinador

Não há nenhum orgulho em perder o timing das tarefas que deveriam ser simples – e normalmente são – é na verdade vexatório.

Tenho tentado entender o que me leva a procrastinar e acho que tem relação com  humor e prazer, tudo que é mais prazeroso eu procuro fazer antes, mesmo quando a relevância da tarefa é infinitamente menor.

Aos organizados, não julguem os procrastinadores: a maioria das decisões de fazer ou deixar pra depois não são tomadas de forma racional.

Da minha parte, tenho tentado melhorar dia após dia. No melhor estilo um dia de cada vez.. às vezes recaio, recomeço.

Porque no fim, procrastinação é um vício. A parte mais difícil é aceitar e ver-se como um procrastinador, depois é decisão diária. Não dói executar tarefas, mas gente.. é uma agonia sem fim cumprir rituais hahaha

Mas vamos lá: aprendendo a  fazer lista de tarefas e usar Apps de organização pessoal. Vou testar alguns e volto aqui com dicas pra ajudar que sofre com o mesmo mal que eu, e se você tiver dicas, compartilha com a gente também nos comentários.

😉

Leia também...

Deixe um comentário