Problemas que podem ocorrer durante a amamentação

A amamentação é um momento de interação entre mãe e filho, além de trazer vários benefícios à saúde de ambos. A mulher deve tomar alguns cuidados para que esse ato não gere dor e desconforto.

Os problemas mais comuns na amamentação incluem o bico do seio rachado, o leite empedrado e as mamas inchadas e duras, que geralmente surgem nos primeiros dias após o parto ou após muito tempo a amamentar o bebê.

Normalmente, estes problemas da amamentação causam dor e desconforto para a mãe, porém, existem técnicas simples, como o bebê fazer uma boa pega na mama ou a mulher ter alguns cuidados com os seios, que ajudam a evitar estas situações e, que podem ser facilmente resolvidos com ajuda de um profissional capacitado.

Segue alguns problemas que podem ocorrer durante a amamentação e algumas dicas para solucionar.

Problemas no Bico – Ter o bico do seio invertido ou plano, não é exatamente um problema pois o bebê precisa de abocanhar a aréola e não o bico do seio, por isso, mesmo que a mulher tenha o bico do seio invertido ou muito pequeno ela conseguirá amamentar.

Solução:

  • O uso de conchas de seio durante a gestação funciona em alguns casos de mamilos planos ou invertidos. As conchas são discos plásticos, com um orifício no meio para encaixe do bico. Elas devem ser colocadas sobre os mamilos e abaixo do sutiã. Durante a gestação coloque a concha por curtos períodos e vá aumentando o tempo gradualmente até alcançar a marca de uma ou duas horas por dia. No pós-parto, pode ser utilizada por 30 minutos antes de cada mamada (o uso contínuo não é recomendado).
  • Outra solução bastante viável é fazer compressa gelada (fria) no bico antes das mamadas ou ainda utilizar a bomba de extração de leite para já puxar um pouco o bico e dar forma.
  • Em casos em que estas técnicas não é possível, pode-se usar bicos artificiais que são aplicados sobre o seio e que ajudam amamentar.

Dor ao amamentar – é bem normal sentir dor e o bico do peito ficar mais sensível, afinal tem alguém ali “gastando” o bico e “sugando” o peito. Se a dor for durante a amamentação, verifique se o seu bebê está em uma boa posição e com a pega correta.

Solução:

  • Melhorar a pega do bebê. O bebê deve estar com a boca bem aberta para conseguir abocanhar o bico e a auréola do seu seio; se ele pegar só o bico, retire e tente novamente. Para tirar o bebê do seio sem dor, coloque o seu dedo indicador de forma bem gentil e leve no canto da boca do bebê.
  • Se o problema não é a pega, pode ser que o bico do seio esteja ressecado pelo contato constante do bico com a roupa ou o absorvente de seio.
  • Tente trocar o absorvente pela concha e também usar cremes de lanolina (100%) ou ficar com os seios expostos ao sol e ao vento. Quando o peito está muito cheio é normal doer um pouco.
  • Resolva dando de mamar para o seu bebê, ou realizando a ordenha.

Fissuras e rachaduras – os bicos podem estar com pouca hidratação e muito abafados, se você estiver utilizando bomba para ordenha, é possível que o encaixe da concha no seio deva estar com alguma “folga”. Tenha a certeza de que a borda da concha está em contato com a pele do seu seio de modo uniforme.

problemas que podem ocorrer durante a amamentação

Solução:

  • Verifique a pega do bebê no seio, corrija se esse for o caso.
  • Se o seu bebê mama bastante, procure diminuir os intervalos para minimizar a fome e fazer com que ele não venha com tanta sede ao pote; assim ele irá sugar com menos urgência evitando possíveis rachaduras.
  • Lavar o seio com água basta e usar o seu próprio leite como cicatrizante, é um dos melhores remédios.
  • Bicos de silicone podem funcionar, vale a tentativa. Prepare-se para testar um número bem grande de marcas até o seu bebê “gostar” de uma.

Leite empedrado – é sinal de que o peito está cheio de leite e não está sendo esvaziado corretamente. Você irá notar que nódulos vão se formando no seio que está empedrado.

Solução:

  • Não deixe de amamentar. Se puder, amamente com maior frequência para “desentupir” os dutos mamários. Você pode usar a bomba para extrair um pouco de leite.
  • Sutiãs muito apertados também devem se afrouxados.
  • Compressas mornas em todo o seio também aliviam bastante quando combinadas com massagem suave em toda a mama. O objetivo é fazer o leite circular.

Ingurgitamento das mamas – Por mais que a gente goste de ver o peito bem cheio de leite, tanta fartura torna a amamentação quase impossível para o bebê. Um peito muito cheio é um peito bastante rígido, pouco flexível, que dificulta a pega correta.

Solução:

  • Fique de olho no horário das mamadas, bebês preguiçosos são campeões em deixar o leite de suas mamães empedrar. Nada melhor do que tirar esse leite em excesso (e guardar), viabilizando o encaixe boca do bebê-seio da mamãe. Você saberá que está bom quando o seio estiver flexível e sem desconforto ao toque.

Mastite – é uma infecção bacteriana nos ductos mamários. Os sintomas iniciam bem parecidos com a sensação de que tem uma gripe chegando, vem a febre e depois uma dor nos seios. Acontece geralmente em quem teve fissura no bico do seio, leite empedrado e entupimento do ducto mamário.

Solução:

  • Compressas quentes e amamentar/ordenhar com maior frequência são as medidas mais adotadas, mas segundo os médicos, a maneira mais eficiente de tratar é com o uso de antibióticos.

Baixa produção de leite – a única maneira que temos para saber se a quantidade de leite que você produz não é suficiente é o não ganho de peso do seu bebê. Como a ida ao pediatra é bem frequente nesses primeiros meses, você poderá acompanhar o progresso de peso e altura na tabela que ele preenche.

Solução:

Quanto mais o seu bebê mamar, mais estímulo haverá para produção de leite.

  • Se ele não está ganhando peso:
    • Certifique-se que o seu bebê mama a cada 3 horas. Marque no relógio.
    • Faça ordenha e armazene seu leite.
    • Deixe o bebê esvaziar um dos seios para oferecer o outro. Assim ele conseguirá mamar a parte mais rica e gordurosa do leite.
    • Ordenhe um pouco do seu leite e depois ofereça o mesmo seio para que o seu bebê se alimente desse leite mais rico.
    • A mãe também deve beber 3 litros de água por dia

O bebê preguiçoso – no primeiro mês é bem comum que o bebê caia no sono enquanto mama, e vai sendo assim, uma mamada aqui, um cochilo ali. A gente só se preocupa quando não há ganho de peso.

Solução:

  • Estimular o bebê mexendo na orelha, nos pés, fazendo cócegas e conversando são tentativas válidas. Alguns pediatras orientam que se tire as meias do bebê e, aos poucos, deixá-lo só de fraldinha. Dizem que o frio faz eles ficarem mais espertos e querendo mamar.
  • Rodízio de seios também é uma alternativa. O leite que sai nos primeiros minutos de mamada é sempre mais abundante.

Espero ter tirado muitas das suas dúvidas. Escreva para a gente e procure ajuda especializada sempre que achar necessário.

Beijos da Nutri Materno Infantil.

Leia também...

Deixe um comentário