Paraguay e a Quarentena

Oi genteeee!

Quem acompanha a gente nos stories do @arquitetandoestilos sabe que eu entrei bem playmobil no domingo, dia 15/03/2020 informando que o Paraguay fecharia as fronteiras à meia noite do dia 16/03/2020.

A resolução foi uma evolução do plano de ações anti Covid_19 que eles já tinham começado no dia 10/03/2020 quando foi ordenado o fechamento de escolas e grandes eventos, como shows, campeonatos esportivos e festivais.

Programaram-se também no plano econômico, e destinaram 530 mil milhões (engraçado esse número, não acham?) e anteciparam pagamentos de aposentadorias e planos de atendimento a população de baixa renda.

A prioridade é a saúde da população e depois a parte econômica, que já tem um plano emergencial para manter o crescimento na previsão de 4% em 2020.

E aí chegou 16/03/2020 e a exemplo da Argentina, o Paraguay optou por fechar as fronteiras para estrangeiros. Nenhuma pessoa que não fosse paraguayo ou residente no país podia entrar no território. Essa ação foi tomada quando os médicos confirmaram o 10º caso, e foi instaurado também o toque de recolher, de 20h às 4h quando você só pode estar fora de casa se souber explicar muito bem para a polícia ou exército, que fazem as rondas em todas as cidades.

O comércio aqui na fronteira de Ciudad Del Este já tinha – meio que compulsoriamente – aderido ao isolamento, visto que grande parte dos funcionários e clientes é formado de brasileiros que não podiam mais atravessar a fronteira. A princípio falou-se em um fechamento de 2 até 3 semanas, que recentemente recebeu uma nova data 12/04/2020. Atualmente nem mesmo cidadãos paraguayos podem adentrar (ou sair) do país. Apenas médicos e outros trabalhos diplomáticos tem a permissão de ir e vir. A Argentina também tomou a mesma decisão e não recebe nem mesmo argentinos que estavam fora do país durante a época de quarentena.

Falem bem ou falem mal, em um momento que o povo nem sabe que precisa ser tomado pela mão e conduzido para um lugar seguro, a medida parece ter sido eficiente, pois enquanto o Brasil não teve incentivo federal para a paralisação, cresceu de 65 para 3027 casos (tendo em mente que não temos testes e não estamos examinando provavelmente 2/3 dos casos) o nosso país vizinho foi de 10 para 52 casos. Essa é a importância do afastamento social em um momento destes.

ImpreCionante, não?

Obviamente a postura de governo do país foi muito mais firme até pelo entendimento de que o Paraguay possui um sistema de saúde muito limitado, e no caso de um grande número de necessidade de leitos ele entraria em colapso muito rapidamente, muito mais do que outros países da América Latina. A verdade é que a população se uniu, assumiu os direcionamentos do governo e, ainda que hajam pequenos focos de solicitação de volta do comércio eles foram protegidos de uma forma eficiente.

No meu blog, eu sigo postando notícias e aproveitando para mostrar produtos que eu tenho utilizado muito durante a quarentena que foram adquiridos no meu querido Paraguay.

Que em breve possamos ir nos divertir e economizar buscando itens no nosso vizinho mais simpático.

Bença!

Lelo

Leia também...

Deixe um comentário