O ritual do vinho no restaurante

Sabia que muita gente não pede vinhos em restaurante por pura vergonha??

Sim, o vinho ainda intimida, mas estamos aqui para evitar qualquer constrangimento e estimular cada vez mais o consumo dessa bebida maravilhosa.

Já ouvi histórias engraçadíssimas sobre experiências de amigos em restaurantes. Teve gente que ao receber a rolha e não saber o que fazer a mordeu… Teve gente que lambeu…E assim vai… Preservarei a identidade dos amigos para não perpetuar a zoeira. hahahahaha

Mas vamos lá…. Vai sair com o crush e quer pedir vinho? Algumas dicas básicas vão te ajudar a não passar carão:

  1.  Sinta-se a vontade com a carta de vinhos. Mais a vontade ainda para pedir ao sommelier ou garçom as garrafas que lhe interessar. Acontece muito comigo: As vezes penso conhecer um vinho mas não tenho certeza, então tiro a dúvida olhando o rótulo.
  2. Se mesmo assim permanecer em dúvida, peça ajuda ao profissional. Aliás, você pode fazer isso no começo. Em tese, ele conhece o menu e os vinhos da carta e poderá dar boas indicações.
  3. Escolhido o vinho, o profissional o trará na mesa e apresentará a garrafa. Confira se corresponde ao vinho solicitado e autorize a abertura.  Sem frescuras, apenas concordando.
  4. É normal que ao abrir a garrafa o profissional prove um pequeno gole do vinho antes de servi-lo para sua prova. Isso não é comum em casas onde não há um sommelier atendendo. Não estranhe, é o trabalho dele.
  5. O profissional lhe entregará a rolha para análise. O que fazer? Aqui o intuito é que o consumidor confira se a mesma está limpa, em resquícios de contaminação ou vazamentos. Importantíssimo: Só a análise da rolha não garante estar ou não o vinho adequado. No entanto, estando com aromas agradáveis (nada que lembre acetona, mofo, pano sujo, poeira…), basta um ok para que se inicie o serviço. Tá com dúvida sobre isso? Dê uma olhadinha nesse “causo” que contei aqui na fanpage do meu Blog.
  6. Será então servida uma pequena dose para você. Verifique se o vinho está adequado com o que pediu. Estando adequado, basta um novo aceno ou ok para o profissional e então ele fará o serviço da mesma, finalizando com sua taça.
  7. E quando recusar o vinho? Quando ele apresenta defeitos. Além dos aromas que citei acima, ele pode parecer avinagrado, pode estar sem limpidez ou outras características não esperadas no estilo de vinho escolhido. Se pediu um vinho diferentão não espere um vinho tradicional. Se pediu um tinto leve não espere características de cabernet… E assim por diante.
  8. Se o vinho não for suficiente para entrada e sobremesa, tudo bem mudar o rótulo. Você não precisa passar todo o jantar com o mesmo vinho….
  9. Se sobrou vinho na garrafa leve para casa. Quer levar a rolha ou a garrafa vazia para colecionar? Sem problemas também.
  10. Dicas extras: Esqueça avaliações do Vivino e inove em suas escolhas. Experimentar novas experiências num mundo tão vasto é sempre válido. Brinde!! Todo bom momento em torno do vinho merece ser comemorado.

Vinho é simples, é para todos. Esqueça os excessos e divirta-se com ele.

Até a próxima coluna, Keli Bergamo.

Leia também...

Deixe um comentário