O Papai Noel e suas lições!

Para nós, adultos da atualidade, memórias acerca do Natal são normalmente mágicas e cheias de encanto. Comemorar o natal era um processo: começava com a decoração minuciosa da casa, depois vinham as deliciosas tardes do início das férias escolares, dedicadas ao preparo de bolachas e outras gostosuras enfeitadas com o tema do natal. Na sequência, havia o encontro com o bom velhinho, que escutava o nosso pedido e nos dava doces. Isso sem falar das cartinhas, do presépio, e de todos os preparativos para a tão aguardada noite de natal.

Dormir naquela noite, parecia impossível e ao mesmo tempo era extremamente desejado, pois, conforme a tradição na manhã seguinte, embaixo do pinheirinho ou dentro de meias que ficavam penduradas na janela, estaria o tão esperado presente de natal.

Suspirou? Eu sim, várias vezes!

Enquanto escrevia e relia os primeiros parágrafos passou um filme pela minha cabeça. E me chamou atenção que neste filme não constavam os presentes, não me recordo se eles eram caros ou baratos, grandes ou pequenos, sequer me lembro se era aquilo que eu havia pedido… Curioso né? Se é verdade que a magia do natal infantil não se encontra no presente, e sim em toda a preparação familiar envolvida, temo que estejamos fazendo isto por nossas crianças de modo errado…

Na atualidade raras são as famílias que realmente decoram a casa juntas, eu não estou falando de ter a casa decorada, mas sim de toda a construção que esta decoração antes representava. As bolachas e demais quitutes são comprados nas padarias, encomendados, somos todos muito ocupados e tendemos a acreditar que estas atividades não atrairiam as crianças, no entanto estamos errados. O Papai Noel recebe visitas, mas com o propósito de ser fotografado, muitas crianças bem pequenas já sabem que ele é apenas um personagem. E por fim, para muitas crianças o Natal é apenas um feriado para ganhar presentes, presentes estes que chegam em qualquer dia, pois os pais acreditam ser muito difícil para os filhos esperarem pela noite de natal.

Engraçado que estes mesmos pais se frustram e reclamam que seus filhos não dão valor para o presente e logo em seguida de terem ganhado o abandonam. E eu me pergunto: “Como nós, que crescemos neste contexto, em que se esperava o ano todo para desembrulhar um pacote, não conseguimos perceber a contradição desta queixa? Como esperar que uma criança que ganha presentes e que recebe tudo o que deseja a qualquer momento, atribua algum valor a mais um presente?”

Pais andam buscando a satisfação imediata de seus filhos. Com frequência me dizem: “não tive tudo e agora posso e vou dar tudo ao(s) meu(s) filho(s)”. Estão terrivelmente equivocados… Quando os pais dão tudo o que o dinheiro pode comprar para os seus filhos, esquecem-se que os ensinamentos e memórias mais importantes que eles possuem não tem nada a ver com bens materiais.

Nossos pais de modo geral, não nos deram importância e nem afeto suficientes e não estamos errados em não querermos imitá-los neste quesito. Porém, nos ensinaram lições bastante importantes na espera pelo Natal, das quais não devemos privar nossos filhos…

Neste natal, dê presentes aos seus filhos. Mas dê também a oportunidade de experienciar toda a mágica envolvida na espera do natal. Resgate em família a expectativa desta noite especial, mostre as luzes da cidade, visite papais-noéis, ajude as crianças a escreverem para ele, decore a casa, cozinhe algo, deixe seus filhos vivenciarem todos os preparativos…  Esses momentos, que não podem ser encomendados, nem comprados, nem substituídos, vão ser certamente aqueles que jamais serão esquecidos.

Beijos e um feliz natal em família para você!!!

Leia também...

Deixe um comentário