Ninguém é igual a ninguém – Para você parar de se comparar!

Já faz um tempo que quero escrever sobre esse tema, mas acabava sempre surgindo outro e ele ficava de lado, acredito que hoje sai! Em qualquer coluna de comportamento ele poderia ser útil, porém como estamos aqui para falar de Pais e Filhos e é verdade que na maternidade/ paternidade nos cobramos mais do que em qualquer outro setor, vou me ater a ele apenas neste aspecto.

Pessoas que se cobram demais se cobrarão mais ainda em relação à educação dos filhos, no entanto, tenho percebido que até mesmo as pessoas que tem relações saudáveis consigo mesmas, que desenvolveram auto-compaixão, acabam por se cobrar quando este é o assunto.

Não é verdadeiro dizer que toda essa cobrança parte exclusivamente, e talvez nem na sua maior parcela de auto-cobranças, afinal, basta que o resultado do teste de gravidez dê positivo para que todos ao redor comecem a despejar experiências, conselhos, advertências, e etc. Tudo isso subjuga e assusta, faz com que se crie um monstro de doze cabeças ao longo da gestação, a respeito desta nova vida que está iniciando.

Outro fator que favorece, e MUITO, o sofrimento em relação a comparações com outras mães/ pais/ famílias, certamente são as redes sociais, que na maior parte das vezes servem para exibir felicidade, prosperidade, e satisfação… Eu não estou aqui dizendo que as pessoas deveriam expor em seus perfis as dificuldades do dia-a-dia, apenas acredito que seria muito útil se cada um percebesse que ali só postamos aquilo de que queremos nos lembrar com saudades, ali só serve para guardarmos coisas boas. As fotos que postamos em nossas redes sociais funcionam também como o álbum de fotografias físico que tínhamos antigamente, observe que a gente não tirava foto de momentos e nem de dificuldades do cotidiano. Ao contrário, eram tiradas fotos de situações festivas, muito mais do que hoje, quando um pôr-do-sol ou um prato de comida é motivo para uma foto/ um post.

O que quero dizer com tudo isso, mesmo sabendo que seja difícil, é: liberte-se dos fantasmas imaginários que você criou em relação à vida de outras famílias, com seus filhos, seus pais e suas mães. LIBERTE-SE! As pessoas são diferentes, seu filho não é e não vai ser igual ao filho da sua cunhada, vizinha, colega de trabalho. Sua família é composta por pessoas diferentes, é o seu marido e não o marido daquela outra pessoa, eles tem histórias diferentes, obviamente, serão pais diferentes. Você até pode se espelhar em pessoas que você considera exemplo, mas não faça disso mais um castigo contra si mesma! Se conheça, compreenda seus limites e suas limitações, busque imitar pessoas que você realmente conhece e não aquelas que você admira por redes sociais, e principalmente, encontre o valor que existe em você enquanto mãe, porque isso é que possibilitará encontra-lo em seus filhos e em sua família. Tudo isso, trará muito mais paz para a sua tarefa, essa tarefa que é a sua, que só você conhece tão bem, a tarefa de educar seus filhos e construir a sua família, e observe que é exatamente assim com tudo mundo!

Com afeto!

Leia também...

1 comentário

Avatar
Daniela 24 de abril de 2019 - 20:38

Excelente texto. Adorei!

Responder

Deixe um comentário