Melasma, tem cura? 

Com a saída do verão, e com as temperaturas começando a diminuir, podemos dar início ao tratamento das manchas na pele. É neste período que damos preferência para iniciar o tratamento do melasma.

Pra quem não conhece, o melasma é uma condição chata e que acomete principalmente mulheres. Basicamente são manchas escuras no rosto, mas também podem surgir em outras áreas. Elas são manchas grandes e mal delimitadas, podendo aparecer nas maçãs do rosto, na testa e ao redor da boca.

Ocorrem por influência de fatores genéticos, hormonais (anticoncepcionais e gravidez), porém o principal fator é a exposição a luz ultravioleta e luz visível cronicamente e sem proteção.

Como tratar o melasma?

O tratamento do melasma sempre envolve um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte. As medidas variam desde o uso do filtro solar regularmente e o uso de ácidos, até procedimentos como peelings, microagulhamento e laseres. Essas medidas são sempre indicadas em consulta com um dermatologista.

Alguns casos respondem facilmente a estes tratamentos, mas outros se tornam crônicos e muito difíceis de tratar. A principal medida preventiva ainda  é o uso de fotoprotetores contra raios UVA e UVB de forma regular. Os mais indicados são os filtros com FPS 30 ou mais e de preferência com cor. Filtros com base são comprovadamente mais eficazes no combate e prevenção ao melasma. Hoje em dia também dispomos de comprimidos antioxidantes que auxiliam a reduzir os danos do sol na pele, mas é importante lembrar que estes não substituem o filtro solar!

O mais importante no melasma é a conscientização de que é uma condição benigna, e que apesar de não ter cura, pode ser  amenizada e controlada com medidas relativamente simples. Procure sempre um médico dermatologista para avaliar suas manchas e evite usar produtos por conta própria!

Dra. Anelisa Ruaro

Dermatologista

Leia também...

Deixe um comentário