Medicina Chinesa no Combate à Celulite

Hoje vamos falar de um assunto que incomoda um grande número de mulheres: a hidrolipodistrofia ginóide ou lipodistrofia ginóide, a popularmente conhecida e muito odiada CELULITE.

A celulite é uma inflamação do tecido adiposo e que, de modo geral, é mais comum em mulheres.

Alguns fatores são responsáveis pela formação das celulites como: hormônios, estresses cumulativos, calçados e vestuários inadequados, anomalias de postura, sedentarismo e inatividade física, obesidade, alimentação (álcool, refrigerante, café e chá preto, açúcar refinado), cigarro e ingestão insuficiente de líquidos.

Existem 4 tipos de classificação para celulite:

 Grau I: quando não alteração no exame visual, porém ao se apertar a região nota-se um aspecto de “casca de laranja”;

Grau II: quando já existe o aspecto de “casca de laranja” sem a necessidade de apertar a região;

Grau III: já existem retrações importantes de fibroses e alguns nódulos, porém bem suaves;

Grau IV: Descrições anteriores acentuadas acompanhadas por flacidez.

Sob o ponto de vista da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), por volta de 14 anos de idade com a produção de hormônios sexuais, começam a se formar nas mulheres depósitos de gorduras hereditários que se tornam grandes barreiras para circulação de sangue, associando assim a estagnação da circulação energética.

Oscilações hormonais e fatores externos atrapalham na tentativa de equilíbrio do Yin e Yang, quando se iniciam as manifestações de afecções herdadas. É nesse momento que se manifesta o primeiro e mais importante desequilíbrio energético existentes em todas as formas de celulite: a estagnação de Qi (energia) e de Xue (sangue). O Gan (Fígado) em desarmonia perde a principal função energética – o livre fluxo de Qi.

A alimentação inadequada e a fadiga são fatores que podem enfraquecer o Pi (Baço/Pâncreas), levando a formação de edema.

Dessa forma, a MTC classifica as celulites em 2 formas:

Celulite por estagnação de Gan Qi (Energia do Fígado): mais infiltrativa e dolorosa;

Celulite pelas deficiências do Pi-Yang (baço/Pâncreas-Yang) e do Shen (Rins): é a forma mais flácida da celulite e desenvolve-se de maneira mais gradual.

E como pode ser feito o tratamento de celulite pela MTC?

Bom, o tratamento pode ser feito por algumas técnicas:

Ventosaterapia: o tratamento é no local da celulite utilizando ventosa com técnica de deslizamento, usando óleos essenciais para liberar as energias estagnadas do local, melhorando assim a circulação de Qi e Xue.

Eletroacupuntura: São eletrodos conectados as agulhas que potencializam a ação das agulhas. As agulhas são colocadas nos pontos selecionados e depois conectados esses eletrodos. Os estímulos elétricos são indolores e muito eficientes, eles vão agir na circulação sanguínea e linfática combatendo o aspecto de “casca de laranja”. Essa técnica é utilizada também na forma de tonificação para ajudar a fortalecer a musculatura e o tônus do tecido da região tratada.

A MTC pode ajudar muito no tratamento da celulite, mas como todo tratamento estético, ela não faz milagre. Para um resultado mais rápido e eficaz é necessário que se alie a uma boa alimentação e exercícios físicos regulares.

A manutenção desse resultado também depende da sua disciplina em continuar seu tratamento baseado nesses 3 pilares.

Não desista!

Um beijo,

Ale Iasbek

Leia também...

4 comentários

Avatar
Maira Pereira 14 de março de 2018 - 14:43

Perfeitooo o artigo e o conteudo que vcs passam!! Obrigada!!

Responder
Alessandra Iasbek
Alessandra Iasbek 21 de março de 2018 - 17:20

Obrigada pelo retorno, querida!!
Se tiver alguma sugestão sobre temas que gostaria de ler me mande, ok???
Um beijo
Ale Iasbek

Responder
Avatar
Bruna Machado 24 de março de 2018 - 11:55

Nossa amei a matéria, como mulher adoro esses temas. Vou passar a acompanhar e ver as novidades! Parabéns.

Responder
Alessandra Iasbek
Alessandra Iasbek 24 de março de 2018 - 12:08

Oi Bruna, obrigada pelo comentário… E se tiver alguma sugestão de tema, me mande… Vou adorar escrever!!!
Bjos
Ale Iasbek

Responder

Deixe um comentário