Mau hálito. De onde ele vem?

Quem nunca passou pela situação constrangedora de dizer ou não a um amigo ou parente que ele tem mau hálito? Ou mesmo sentir um gosto ruim na boca e evitar falar próximo aos outros?

O mau hálito (ou halitose) é uma condição muito comum e acomete cerca de 25 a 50% das pessoas e causa impacto social e psicológico importante quando passa a ser uma queixa frequente. Mas de onde vem esse “bafo”?

O mau odor na boca geralmente está relacionado com a evaporação de compostos de substâncias orgânicas que se decompõem por ação das bactérias na cavidade oral. Mas também pode se originar de outras partes do sistema digestivo, das vias aéreas e também de doenças sistêmicas.

Em 90% das vezes a causa está na boca e os problemas que podem ser encontrados são infecções, cáries, periodontite, doenças endodônticas e principalmente alterações na língua. É comum que resíduos alimentares e epitélio descamado possa se acumular nas reentrâncias da língua e causar mau odor quando as bactérias da boca decompõem esse material. O mesmo pode acontecer nas criptas das amígdalas que acumulam matéria orgânica e formam bolinhas amareladas com mau cheiro, o caseum.

A diminuição da produção de saliva também é causa para mau hálito que precisa ser investigada pelo médico.

Em menor frequência a halitose pode ser causada por doenças pulmonares, alterações no trato digestivo, ingesta de determinados tipos de alimentos ou medicamentos ou doenças sistêmicas que promovem a eliminação de substâncias odoríferas pela respiração.

Alguns cuidados podem ser tomados para evitar o mau hálito, são eles:

  • Tomar água
  • Mastigar adequadamente
  • Dieta fracionada e rica em fibras
  • Boa higiene oral
  • Não fumar, evitar bebidas alcoólicas ou alimentos que podem causar halitose
  • Acompanhamento odontológico regular

A abordagem da avaliação de um paciente com queixa de halitose é multidisciplinar e deve englobar a avaliação odontológica e médica.

Leia também...

Deixe um comentário