Sabia que limpar os ouvidos pode gerar problemas? Entenda.

Quem nunca sentiu aquela vontade irresistível de dar uma coçadinha nas orelhas com cotonete?

Uma das perguntas mais frequentes que me fazem é se eu considero o hábito de limpar os ouvidos por conta própria é prejudicial. E a resposta é sim, mas não estou sozinha nessa.

Segundo o último Consenso da Academia Americana de Otorrinolaringologia, existe uma forte recomendação contra o uso de hastes com ponta de algodão dentro dos ouvidos. Na própria embalagem do produto podemos encontrar a precaução:

Não deve ser inserido no canal do ouvido

Mas por que a partir de hoje você só irá usá-lo pra remover maquiagem?

Você sabia que seu maravilhoso ouvido é auto-limpante??

A cera produzida por ele naturalmente migra para a sua porção mais externa. É claro que existem exceções, como as pessoas que produzem excesso de cerume e em idosos em que ele pode ficar mais seco e endurecido. Mesmo nesses casos não é recomendado o uso das hastes, já que as mesmas podem empurrar e compactar a cera dentro do conduto auditivo, tornando mais difícil a sua remoção. Outro ponto importante a ser considerado é que existe o risco de causar lesões no canal ou até na membrana do tímpano.

Quantas vezes na hora do exame médico eu ouço a frase:

Me desculpe, hoje não tive tempo de limpar meus ouvidos

Pois bem, apresentar cerume não é sinal de má higiene. Ele está lá na orelha por alguns motivos: é um protetor natural da pele, prende as sujeiras que eventualmente possam entrar no canal, absorve células mortas e previne que bactérias atinjam a sua parte interna.

Somente em alguns casos é indicada a retirada da cera – se estiver causando algum sintoma de dor, perda de audição ou zumbido e caso atrapalhe o exame médico otológico. As principais causas para o acúmulo são: Conduto estreito ou tortuoso, alterações na pele (eczema, oleosidade), excesso de pelos, produção maior do que a capacidade de eliminação e o uso de aparelhos auditivos ou plugs nos ouvidos.

O ideal é que a remoção de cerume seja realizada por um médico com experiência, já que ele consegue examinar os ouvidos e eventualmente diagnosticar outros problemas que possam existir. As técnicas indicadas podem ser o uso de gotas emolientes, irrigação ou remoção manual com instrumentos adequados. O procedimento não é doloroso e com mínimo risco de complicações quando tomados os devidos cuidados.

Para finalizar vale lembrar que além dos cotonetes não devem ser introduzidos nenhum objeto dentro do canal auditivo. Desde grampos de cabelo, lápis, ponta de guardanapo de papel, as unhas, cerdas de vassoura ou qualquer coisa que você possa imaginar. (Sim, já tirei uma cerda de vassoura do ouvido de uma pessoa).

Beijos e até a próxima!!

Leia também...

Deixe um comentário