Leis no Paraguay? Tem sim!

Mês passado, quando eu contei pra vocês estilosos como se comportar numa viagem pra fronteira, ficou meio “nublada” a informação sobre direitos de consumidor. As leis no Paraguay são diferentes, assim como em qualquer lugar.

Como eu antecipei, não é que não existam direitos de consumidor, o problema é que pela interpretação do texto jurídico pode se entender que as leis são aplicáveis aos nativos e/ou naturalizados Paraguaios.

E agora é hora de aprender tudinho pra se dar bem nas compras! 

É muito comum turistas terem que pagar por itens danificados,  não que eu ache totalmente errado, mas no Brasil não pode.

Solicitar uma “perícia” que leva vários dias antes de efetuar uma troca.

Não vou falar de mau atendimento, porque mesmo que existam lojas que tenham um atendimento tenebroso a maioria das reclamações é porque os brasileiros tem um costume de serem atendidos com mais atenção e no comercio mais efusivo do país vizinho isso não vai acontecer, pode chorar. Pesquise bem o que você quer e vai sabendo o que comprar, assim você não sofre.Ou, sofre menos.

Então vamos ser úteis e vamos falar de como se “precaver” dos problemas.

Compre sempre em lojas com boas referências e obviamente, você encontra esses dados atualizadíneos no meu blog Paraguai Pink.

Lá eu tenho parceiros que obviamente MIM pagam porque como vocês sabem comunismo só dá certo pra quem não vive nesse regime. E eu tenho que pagar meus boletos.

Porém o blog não é somente publieditorial. Tem os parceirinho maravilindos que estão todos listadinhos cada um com seu Banner bonitinho, mas tem dica dos turistas, tem opiniões de leitores, tem contribuição de outras pessoas, enfim são 5 matérias por semana tem material pra lacrar a carteira do amante em dólares.

Agora independentemente de onde for adquirir seus produtos, tendo garantia ou não, sendo caro ou barato faça o seguinte:

Peça a “factura”  esse é o nosso equivalente a Nota Fiscal e ele garante que você possa tomar uma atitude mais drástica caso seja necessário.

Essa nota quando é feita para um nativo Paraguayo tem o acréscimo de 10% de impostos que você NÃO precisa pagar. Apenas apresente seu documento de Brasileiro.

Grandes lojas, como Monalisa, Shopping China, Terra Nova já emitem esse documento normalmente. Nas menores é preciso pedir.

Depois, no pacote verifique a mercadoria, veja se os 18 Aussie estão na sacola. Se eles não estão rachados. Se nenhum tá pela metade.. Acontece em qualquer lugar do mundo.

Caso seja um eletrônico, ou algo mecânico, todas as lojas tem um setor para testar. Demora, eu sei, entretanto evita ter que voltar depois fazer devolução ou troca… que aí sim é um saco de fazer.

Falando nisso: Devolução em um dia diferente, tipo: comprei hoje, não testei, deu defeito – não tem mais amanhã essa troca não é feita pelo mesmo valor que você comprou, tem sempre um decréscimo… E isso é padrão na maioria das lojas.

Tudo bem, você conferiu, testou, contudo ainda teve um probleminha… ok, acontece. Vá até a loja, converse tente resolver de uma forma pacífica.

Caso você não se entenda com a loja, tem mais um recurso, a polícia do turista.

É nessa hora tensa, quando por exemplo: Você comprou um I-phone roubado e bloqueado (aconteceu algumas vezes) ou quando o perfume é mais falso do que nota de 4 dólares que ter a Factura ajuda.

Primeiro porque quando o cliente pede a factura o lojista já sabe que não é um bocó qualquer que está comprando, e sim alguém instruído.

Segundo porque emitir uma nota dessa significa que a loja tem que ter a nota de entrada, seja da importadora ou de outra loja de onde tenha comprado, o que quer dizer que eles tem que confirmar a procedência da mercadoria.

Delícia né?

A polícia do turista tem seu escritório na aduana, do lado Paraguayo, obviamente.

E eles também fazem uma entrevista e analisam o caso antes de intervir, então não vão inventar coisas nem ir lá sem provas concretas para fazer o boletim de ocorrência.

Recentemente uma paisana nossa fez uma palhaçada numa loja que eu conheço tem um tempinho, eles vendem eletrônicos.

É uma loja relativamente pequena, que tem uma dona chinesa que importa da china uma marca própria de materiais diversos. Então assim, é pequena mas é limpinha.

E não sei porque a moça resolveu comprar um fora de lá e ir trocar nessa loja. Como ela chegou no escritório na aduana e pediram a nota de controle ou a factura e ela não tinha ela voltou na loja e tirou uma nota, mas nem pagou e foi na polícia.

Porém nestes casos de denúncia, os oficiais vão até a loja NA HORA resolver a treta.

Chegando lá a loja mostrou no sistema de câmeras que a moça não tinha comprado nada ali, pelo menos não tinha pago, nem retirado e foi assim que ficou BEM feio para a mulé.

Claro que eu tenho fé no meu coração de que vocês não fariam isso, mas é apenas pra contar um causo verídico.

Até a próxima!

#bença!

Leia também...

Deixe um comentário