Intoxicações em animais domésticos

Em nossas casas temos muitos produtos, plantas, remédios que podem ser prejudiciais para nossos animais. Muitos acabam lambendo, comendo, no caso de remédios a maior parte das intoxicações ocorrem pelos próprios donos, que medicam erroneamente e em doses elevadas.

Hoje vou citar alguns medicamentos que comumente atendemos na rotina veterinária e de outros produtos que as vezes nem imaginamos que podem fazer mal para os nossos animais de estimação.

Qual proprietário ao pisar ou derrubar algo sobre seu animal já não pensou em dar um remedinho para dor?

Os mais comuns são Cataflan (Diclofenaco), Tylenol (Paracetamol), AS infantil (Ácido Acetilsalicílico), Anador (Dipirona). Alguns destes medicamentos são usados por veterinários, porém em doses calculadas de acordo com seu peso e a espécie do animal. Estes medicamentos em doses elevadas ou por vários dias consecutivos podem levar há vários distúrbios, entre eles vômitos com sangue, diarreia enegrecida, distúrbios de coagulação, anemia, podem levar a insuficiência renal ou hepática e até mesmo ao óbito. Qualquer medicação que é dado sem a orientação do médico veterinário pode gerar efeitos colaterais.

Observamos também alguns casos de ingestão acidental de medicamentos que se encontravam em cima de mesas, ou que caíram ao chão. Por exemplo, anticoncepcional, este se ingerido principalmente pelas fêmeas podem gerar alterações no útero. Antidepressivos que podem gerar depressão respiratório ao óbito. Antibióticos gerando irritações gástricas, dentre resistência ao seu uso.

As sementes de frutas como maça, pêssego, ameixa, manga, abacate, podem gerar intoxicações, pois liberam cianeto, um composto químico que gera sinais clínicos neurológicos como convulsão, incoordenação motora, cegueira.

Plantas como Lírio da paz, espada de São Jorge, Hortênsia, Samambaia, Trepadeira, Comigo ninguém pode. Se ingeridos em grandes quantidades ou em pequenas porções diárias, causam danos principalmente ao fígado, os animais começam a apresentar vômitos amarelados, diarreia, anorexia.

Os chocolates possuem uma substância conhecida como teobromina, quanto mais escuro o chocolate, mais teobromina ele possui, e se ingerido em grandes quantidades podem ser letais para nossos cães. Outros alimentos como o alho, cebola, uva, uva passa, também são tóxicas a longo prazo, podem gerar distúrbios de coagulação ou anemia.

Produtos de limpeza e de uso doméstico em geral também podem gerar intoxicações, o animal apresenta vômitos, apatia, convulsões.

O cuidado que temos com as crianças, devemos ter com eles. Qualquer tipo de ingestão de algum produto inadequado que seu animal fez ou vem fazendo diariamente, leve-o ao médico veterinário.

Dependendo da intoxicação o animal necessita fazer lavagem gástrica, ficar internado no soro para aumentar a diurese e eliminar o agente tóxico através da urina, entre outros medicamentos para minimizar os sinais clínicos que ele vem apresentar. Cada caso é um caso, e as vezes requer dias ou até meses de tratamento.

Não tente dar leite, induzir o vômito, pois cada produto, remédio ou alimento ingerido tem uma maneira do médico veterinário tentar minimizar os seus efeitos colaterais. As vezes o próprio dono induz a piora do quadro clínico.

Mantenha sempre estes produtos guardados em locais seguros, e no caso das plantas em locais de difícil acesso a eles. Evite dar alimentos que não sejam indicados para cães e gatos. Os gatos e cães filhotes são os que mais fazem traquinagens e acabam se intoxicando. Ou nós mesmos acabamos os intoxicando! Esses foram só alguns exemplos, mas há muito outros agentes que podem afeta-los.

Até o próximo mês!

Leia também...

Deixe um comentário