Olá gentEEE, tudo bom por aí? Já pensaram em Interiores e Estilos de decoração que te agradam? Final da semana passada eu fiz uma enquete sobre estilos no Instagram e vocês votaram nas preferências de algumas vertentes de estilos que eu queria apresentar aqui no Site.

Quem não conhece nossas peripécias por lá, faça um favor para si mesmo e segue a gente @ArquitetandoEstilos

Como prometido, vou dar mais ênfase nos estilos que você tem curiosidade, e que rufem tambores:

A relação entre interiores e estilos de decoração então ligado igual feijão com arroz. Não há como negar que um faz automaticamente lembrar do outro, e são inúmeros e incontáveis os estilos, então vamos falando deles em diversos posts, não sequenciais para não ser monótono vir aqui nos ler.

E eu já vou chegar jogando logo cinco estilos na sua cútis.

Moderno

Quem não gosta de um exagero objetos, muitos itens expostos e acúmulos de forma geral, com certeza vai se identificar com o estilo de decoração moderno.

Mas deixa eu antecipar que ele não é completamente vazio, porém também não oferece muitos nichos para colocar as decorações.

Também ainda não é hora de futurismo, com peças voadoras, luzes e fumaça, tampouco é obrigatório a profusão de LED´s e touch screens.

O que caracteriza o estilo moderno é a composição de:

Linhas retas ou puras;

Metais e itens tecnológicos;

Ambientes bem organizados;

Simplicidade e funcionalidade.

Esse é um estilo que está em alta pois permite que façamos uso de toques de cores fortes, exibir objetos de arte, incluir mobílias coloridas. Outra característica do moderno são espaços de passagem generosos, evitando assim aquele beijo de dedinho e canto de móveis.

Contemporâneo

Óia um queridinho das pessoas.
Essa vertente de decoração facilmente se confunde com o moderno. Todas as características são as mesmas, apenas se incluem novos materiais. Além do que já tínhamos acrescentamos:

Fibras naturais;
Madeiras;
Padronagens geométricas;
Tons pastéis.

Se você for analisar, 90% das lojas de móveis atualmente apostam em vitrines nessa linha, o que deixa tudo meio igual e nenhum showrrom oferece nada especial ou exclusivo.

Entendo o investimento nesse formato pois ele transparece muito da forma de viver deste momento, então ele não sofre com “dislikes” tanto quanto os outros e isso ajuda a fazer vendas. Por ser tão neutro permite a mistura de peças de outros estilos, com parcimônia, trazendo personalidade.

Casual

Nada de sair vestindo moletom nos móveis. O estilo Casual, mais uma vez, segue a mesma lista de regrinhas do moderno, porém ele tem uma energia mais… convidativa. São ambientes com a mesma carinha, porém cheia de texturas aconchegantes, peças como sofás gigantes que te chamam para curtir o dolce fair niente.

diferença deste para os anteriores são as riquezas que cores e texturas trazem. Toda esta atmosfera despojada é marcada por cores um pouco desbotadas, tal qual um jeans que a gente ama e usa incansavelmente, e demais texturas que fazem a gente querer fazer carinho nas coisas.

Para anotar aí e desvendar a casa da tia, veja que o estilo casual exibe:

Revestimentos de madeira bruta / sem acabamentos;

Cores que remetam à natureza (marrons, verdes, e vermelhos queimados);

Fibras naturais como algodão e linho;

Pedras como granitos, mármores, tijolos e cerâmicas.

Clean

Apesar do nome, se você for uma T.O.C. de limpeza assumida, esse estudo não necessariamente deve ser adotado na sua casa. Não que ele seja mais difícil de limpar que outros, porém ele é mais trabalhoso na manutenção diária e isso tem tudo a ver com os materiais que caracterizam o estilo Clean:

Paredes brancas;
Cores neutras;
Poucos elementos ornamentais;
Muito vidro;
Grandes janelas;
Poucos móveis.

E se você me acompanhar nessa jornada de Parede branca + cores neutras + grandes janelas = Um bom investimento em produtos e pessoas para manter tudo limpo.

Considero esse um dos estilos mais atemporais, indicado para pessoas que não tenham crianças no convívio diário e adequado para ambientes pequenos, pois essa atmosfera fresca e elegante garante sensação de amplitude.

Agora um bônus, porque pediram na DM…. vamos falar rapidin do…

Minimalista

Certa vez uma colega de profissão me disse:

A pessoa faz uma casa de 2500 metros quadrados, aí descobre que é caro decorar e resolve pedir um estilo Minimalista pra gastar pouco.

Vamos esclarecer e expor a verdade sobre o nada pobrezinho do Minimalista:

Ele não é mais barato que os outros. Justamente por não ter muita coisa, é que essas coisas precisam ser as melhores coisas que existem no mercado.

Se não usarmos um estofado maravilhoso, um piso esplêndido não é decoração que teremos como resultado, o que veremos é uma materialização de uma falência pessoal.

O minimalismo cada vez mais deixa de ser um estilo de decoração, e revela-se como um estilo de vida. Acompanhe comigo as diretrizes desse fofinho:

Mobiliário essencial;
Peças versáteis;
Itens práticos;
Superfícies lisas e de fácil manutenção.

Somando ao móveis híbridos o pouco contraste também reafirma esse movimento como algo que prega a pureza e refuta o exagero.

Se você tiver interesse em outras matérias que a gente mostrou aqui, clica AQUI para ver tudo que o AE já mostrou sobre decoração.

Se identificou com algum dos estilos?

Conta pra gente nos comentários ou no Instagram @arquitetandoestilos.

#bença!

Lelo

Leia também...

Deixe um comentário