FÁSCIA, como estimular e rejuvenescer

A Fáscia é uma estrutura formada de tecido conjuntivo membranoso, composto de colágeno e elastina. Ela forma um esqueleto fibroso que funciona como uma rede unica, envolvendo o corpo todo.

anatomiaefisioterapia.com/2018/05/07/redescobrindo-a-fascia-muscular/

Uma de suas funções, é transmitir tensões mecânicas geradas pela atividade muscular, funcionando como uma película protetora, facilitando o deslizamento entre as estruturas que ela envolve, ou seja, diminuindo o atrito entre músculos, tendões, nervos e ossos.

fáscia

Imagem: enigmatichealing.com/fascia-crystalline-network-by-lisa-renee/

Por estar tão presente em todas as estruturas, imaginem a importância que ela tem na funcionalidade do nosso corpo. Principalmente, pelo fato de ser composta pelas proteínas de colágeno e a elastina, que são bem conhecidas e desejadas, afinal, são nossas proteínas da beleza. Quem não as quer, não é mesmo?

Mas infelizmente a elastina não é produzida a vida toda, ela é uma proteína de longa duração e geralmente é produzida somente até os 30 anos de idade, já o colágeno, proteína de curta duração, se renova durante toda a vida, e é sobre essa proteína que conseguimos atuar com efetividade, estimulando sua produção.

Tenho certeza que querem saber como se faz isso. Então, aí vai a dica de ouro.

fáscia

Imagem: marjoriam.com/trilhos-anatomicos-que-caminhos-sao-estes/

O melhor estímulo para produção de colágeno é o TENSIONAMENTO DO TECIDO, ou seja, esticar os tecidos, favorece a sua produção.

Porém, nem todos os tecidos (por exemplo: músculos, pele) se comportam da mesma maneira, ou seja, a forma como este tensionamento é realizado, também afeta exponencialmente o resultado dessa secreção de colágeno.

Sabendo disso, vou ensinar para vocês um exercício, visando o estimulo de colágeno para os grandes grupos musculares do corpo, e a fáscia que os recobre:

– Primeiro devemos realizar um alongamento, com toques suaves de pressão, um pouco antes de chegar na máxima amplitude de movimento. Lembrem-se, isto é o mais importante, evitar o estiramento excessivo do tecido.

– Depois, realizar leves contrações, intercaladas com relaxamento muscular total, levando o músculo para uma maior amplitude.

Uma analogia para entender melhor como isso funciona, seria o exemplo da mastigação de um “chiclete”. Amassamos o chiclete com movimentos contínuos e suaves, aumentando assim a sua capacidade adesão e liga, para que possa se esticar sem romper facilmente.

Além disso, esse estímulo lento e suave, sem chegar ao máximo estiramento, favorece o deslizamento da Fáscia sobre os músculos, o que reflete numa melhor circulação local, consequentemente melhora a hidratação e nutrição do músculo e de toda a pele que o envolve.  Mantendo assim, a plasticidade e vigorosidade tecidual.

Fator importante na prevenção daquelas características envelhecidas, como o aspecto rugoso, desidratado e inelástico.

Enfim, já deu para perceber que a Fáscia, pelas propriedades que a compõe, dando-lhe essa alta capacidade elástica, e por envolver praticamente todo nosso corpo, é peça fundamental para o movimento.

Se você ainda não conhecia a importância que a Fáscia tem sobre o nosso corpo. A partir de agora, ficará impossível realizar exercícios, sem pesar e observar o efeito que ela exerce sobre os músculos, devendo ser lembrada e estimulada, a todo momento.

Leia também...

Deixe um comentário