O que está acontecendo com a Educação nos dias de hoje?

Muito se fala em mudanças nos modelos educacionais e no quanto elas impactam negativamente os comportamentos das crianças e adolescentes. Eu mesma, que trabalho com Educação, escuto frequentemente pessoas dizerem “no meu tempo não era assim”, “quando eu era criança não podia fazer nada disso”, “quando eduquei os meus filhos (há vários anos atrás) eu não deixava eles mandarem em mim como vejo os pais de hoje fazendo”, e etc, etc, etc.

É verdade que existe um abismo que separa os pais, e consequentemente as crianças de dez, vinte, trinta anos atrás das crianças de hoje, mas será que é verdade que isso é um grande problema?

Sabemos, e se você não sabe PRECISA tomar consciência disso para opinar sobre Educação, que existe uma esmagadora maioria de adultos (que eram as crianças dessas décadas que mencionei) que possui verdadeiros traumas relacionados ao modo como eram tratados. Se na atualidade se dá valor demais às crianças, suas vontades, emoções e opiniões, é porque as gerações anteriores não davam valor algum… Criança não podia se meter, não podia opinar, não podia participar, não podia querer nada, não podia chorar, não podia brigar, enfim, tudo o que sabia era o que não podia… E talvez seja esse o princípio que norteia o modelo educacional que essas crianças de antigamente utilizam hoje com seus filhos…

Compliquei? Eu explico!

Tão comum quanto escutar as reclamações em relação ao modelo educacional atual que já citei, é escutar pais em orientação dizerem “Eu não quero que meu filho passe pelo que eu passei quando criança…” antes de contarem experiências realmente ruins, de abuso físico e psicológico por parte de quem os educou. Eu entendo e sinceramente admiro as pessoas que transcendem ao modelo que conheceram, porque existe sempre uma tendência a copia-lo, o que é muito mais negativo.

Porém, o problema em questão é que os pais tem um modelo a não ser seguido, o que revela que eles não sabem qual modelo devem seguir, não tem um norte, não sabem qual é o certo, sabem apenas o que é errado fazer. Se eu preciso chegar a algum lugar e a única informação que eu tenho é sobre um dos caminhos que não devo seguir é óbvio que a chance de eu chegar onde preciso é ínfima, realmente muito pequena.

E isso explica o modo como muitos pais estão perdidos em relação a educação dos filhos, o que consequentemente vai deixar os filhos muito mais perdidos ainda. Somado a isso existe o acesso a tecnologias e o modo como muitos pais tem transferido responsabilidades deles para ela, provavelmente para não se depararem com a própria falta de caminhos.

Leia também...

Deixe um comentário