É hora do desfralde – dicas e cuidados

No texto de hoje, abordarei um pouco sobre o processo de desfralde da criança, momento que precisa ser encarado com tranquilidade evitando problemas futuros.

Várias abordagens podem ser encontradas sobre este momento na vida da criança, é frequente nestas leituras o fato de não existir uma idade “correta” para iniciar este processo, no entanto é comum admitir que seria precoce iniciá-la antes dos dois anos, dois anos e meio de idade, pois considera-se que a criança não encontra-se apta nem emocionalmente, nem biologicamente para o controle dos esfíncteres (cocô e xixi).

Via de regra, podemos admitir que uma criança esta pronta para iniciar o desfralde, quando:

dá sinais de que percebe seu corpo em relação a essa função, por exemplo: quando mostra estar incomodada por estar molhada (de xixi), quando pede para tirar a fralda, quando se esconde nos cantos para evacuar, quando tira a própria fralda, etc.

Alguns períodos favorecem o inicio do controle, tanto para os pais como para a criança, férias de verão, por exemplo é um excelente momento para que esta tarefa se inicie, primeiramente por que o clima quente favorece o uso de roupas leves, ou seja, a criança pode ficar só de calcinha ou cuequinha facilitando tirar e colocar a roupa após o uso do peniquinho ou do vaso, bem como facilita (para os pais) a troca em caso de escapes. O clima quente também evita que a criança se resfrie caso ocorra escapes (que são comuns no início do controle), os pais, uma vez em férias também, podem dedicar se de forma mais intensa e tranquila aos pequenos neste período.

Alguns pais preferem o uso do peniquinho, e temos no mercado alguns que são extremamente lúdicos, eu de maneira bastante pessoal, indico o uso do vaso com redutor desde o inicio, pois isso facilita para criança usar vaso onde quer que esteja, uma vez que não é em qualquer lugar que ela encontrará um penico mega ultra lindo (e pode recusar-se a fazer no vaso que tem a disposição)…

desfralde-redutoresA mesma coisa com a maneira de limpa-la, alguns pais lavam o bumbum da criança após cada evacuação, porém este hábito (super higiênico, admito) pode causar restrições quando a criança quer evacuar em um lugar onde seu bumbum não pode ser lavado. Sugiro o uso do papel ou do lenço umedecido que pode ser levado para qualquer lugar dentro da bolsa da mãe ou da mochila de pertences da criança.

É incrível, o quanto a experiência como mãe e como psicóloga de crianças pequenas me ensinou, sobre como criamos hábitos nas crianças que depois dificultam a vida delas e a nossa: manias para dormir, usar banheiro, comer, etc, etc…

O vaso com redutor de assento deve ter apoio para os pés, isso favorece a prensa abdominal, posição que estimula a evacuação, além de dar segurança e equilíbrio corporal, isso pode ser improvisado com um banquinho.

O controle diurno normalmente precede o controle noturno, e a criança consegue (via de regra) entender perfeitamente que a noite ainda precise usar fralda para dormir. O controle noturno demora mais para ocorrer e exige maior maturidade da criança, podendo acontecer só por volta dos 4 anos de idade. Em outros casos, logo que se inicia o processo diurno, já é possível perceber que a fralda noturna amanhece seca, hora de tirar a da noite também, pois isso significa que o controle se estendeu para o período noturno e a criança já se controla também a noite.

Do ponto de vista da psicologia, sugiro sempre iniciar o controle mudando alguns hábitos, dentre os quais, incluem deixar de trocar a criança no quarto, deitada (no trocador ou na cama), pois ela precisa relacionar que o seu xixi e cocô a partir de então precisarão “ficar no banheiro” que é o lugar: dos cocôs e dos xixis kkkk. Assim, mesmo que ainda esteja na fralda, sugiro que ao pensar iniciar o controle comecem também a mostrar os lugares em que esse controle deve acontecer. Levar a criança junto com o  irmão,  o pai ou a mãe pra ver como fazem no vaso também ajuda a dar o exemplo… quando a criança está na escola e outros amigos já fazem no vaso, também ficam mais estimuladas a controlar.

Quando há alterações significativas na rotina da casa, via de regra, o processo pode tornar se mais complicado, por exemplo: nascimento de um irmãozinho, visita, conflitos familiares significativos, etc.. Temos que ter claro que algumas crianças “utilizam se” do xixi e do cocô como forma de chamar a atenção sobre si, ou mostrar um descontentamento que não conseguem verbalizar (até por falta de maturidade). Também precisamos pensar que este período exige do adulto (pai/mãe) que irá acompanhar o processo de controle, disponibilidade, paciência e investimento pessoal, nem sempre possível em alguns momentos familiares. Por isso pense bem no momento de iniciar o controle.

Reforce a criança sempre que conseguir sucesso no uso do vaso, elogie, pode dar lhe adesivos que somados ao longo da semana podem valer um brinquedo ou um passeio especial. Quando não conseguir, evite brigar com ela, retome o processo sem falar muito, leve a ao banheiro que é onde deve ser trocada, retire a roupa e faça a higiene sem dar lhe muita  atenção pois ela pode inverter o processo se perceber, que mesmo brigando você lhe dá mais atenção quando ela faz nas calças do que quando faz no vaso.

desfralde-reforcoEntre duas semanas e um mês normalmente o controle está realizado, lógico que com escapes ocasionais (pois ela às vezes esquece de pedir..), caso haja intercorrências no processo, sugiro que procure ajuda de um pediatra ou profissional especializado precocemente, pois um controle mal conduzido pode ser traumático para pais e crianças e dificultar e prolongar um processo que não é para ser algo ruim e sim uma conquista ao longo do processo de desenvolvimento.

Crianças ressecadas demais que sentem dor ao evacuar podem apresentar maior dificuldade em realizar o controle em razão de temerem sentir dor no memento do vaso e relacionarem o controle a dor. Crianças que não são trabalhadas em outras habilidades de autonomia, como comer sozinhas, vestir se, tomar banho ou pelo menos ajudar no banho, também poderão apresentar maior dificuldade para iniciar esse processo, já que ele exige certa autonomia da criança. Conflitos familiares em que a criança use o xixi e o cocô para controlar o ambiente, ou ainda que se faça útil para um dos pais mante la no status de bebê também pode dificultar o processo.

Enfim … apesar de simples, o processo de desfralde pode tornar-se complexo, por esta razão PROCURE AJUDA SEMPRE QUE ACHAR NECESSÁRIO, leia sobre pois existem ainda muitos outros artigos relacionados com  dicas e ideias que o ajudarão.

Abraço aos pais e aos pequenos…

Leia também...

Deixe um comentário