Como tirar a chupeta do seu filho?

Bem no comecinho da semana passada esse texto de hoje começou (confira AQUI)… eu escrevi sobre as vantagens e desvantagens e quando e como a chupeta tem cada uma destas coisas. O texto repercutiu e teve bastante gente que entrou em contato comigo contando suas experiências com a chupeta dos filhos, e isso me deixou SUPER feliz, por que eu escrevo justamente para interagir com as vivências de vocês, muito obrigada!!  Porém, independente disto eu tinha prometido que escreveria novamente para falar de como realizar a retirada da chupeta, e é por isso que este texto existe…

Como trata-se de um tutorial serei bem prática. Eu particularmente tenho dois métodos e irei descrevê-los a seguir:

* A TROCA:

Dentre os dois métodos este é o mais lúdico. Nele conta-se uma historinha de que quando as crianças completam (ou já completaram) 3 anos o Coelho da Páscoa vem buscar as chupetas, deixando em troca dela, algo que a criança queira muito, é por isso que ele tem aqueles dentões enormes, já que fica com todas as chupetas para si!

Quando estamos nos aproximando da Páscoa é possível utilizar todo o estímulo ofertado deste personagem do universo infantil. No entanto a historinha pode ser adaptada para qualquer época do ano. O importante, tanto para a páscoa quanto para outra data é que a criança seja preparada com pelo menos um mês de antecedência. A chegada do Coelho deve ser marcada no calendário, pode ser um aniversário, retorno das férias, dia das crianças, etc., e desde um mês antes a criança deve ouvir a história, e se preparar. Vale escrever cartinha (desenho), fazer ninho, escolher o presente que o Coelho vai trazer, enfim, vale tudo, tem que usar a criatividade mesmo! Chegando o grande dia, a criança deixa a chupeta no ninho e assim como é feito com os ovos de páscoa sorrateiramente ela é substituída pelo presente escolhido.

Importante: ao decidir que é este o método que será utilizado para tirar a chupeta do(a) seu(sua) filho(a) duas coisas são imprescindíveis:

  • Não é negociável! Trata-se de algo imposto, o Coelho (ou o personagem que você preferir) virá buscar e pronto! Como eu costumo dizer você vai precisar contar a historinha para o(a) seu(sua) filho(a) sem usar interrogações, apenas exclamações. Se for preciso, conte a história com bastante antecedência, dando um prazo bem maior, mas ao decidir contar não deixe que o rumo dependa da aceitação da criança.
  • No momento em que a troca for feita jogue a(s) chupeta(s) da criança no lixo do banheiro, amarre-o e leve-o para a caçamba. Se o Coelho levou não faz o menor sentido ela ficar guardada em nenhum lugar e nem por ninguém.

* O DESMAME:

Quando os pais tem mais capacidade de lidar com a frustração dos filhos podem realizar a retirada da chupeta mais facilmente, usando o processo que eu chamo de desmame. É muito comum que as chupetas sejam trocadas com frequência, até por que conforme as crianças crescem começam a mordê-las. Então, neste caso basta explicar para a criança que a partir de agora não serão mais compradas chupetas, e que quando aquelas que ela possui acabarem, acabarão! Simples né! Também acho. Se houver disponibilidade pode-se até criar uma caixinha (que funcionará como um cofrinho) para guardar o dinheiro que antes era usado comprando chupetas e que em algum momento, será usado para a criança comprar algo que ela queira.

Bom gente, espero ter ajudado a abrir as ideias de vocês, ambos os métodos já foram aplicados dezenas de vezes, e tiveram sucesso! Você também pode criar uma forma de ajudar o(a) seu(sua) filho(a) a vivenciar este momento, o importante é que você entenda e aceite a dificuldade dele(a), e deixe que se prepare para ficar sem chupeta com antecedência.

Antes de escolher como fará porém, prepare-se você, como eu já mencionei no outro texto, muitas vezes nós adultos é que não saberemos lidar com a frustração dos pequenos e quando lhes faltam chupetas entramos em parafuso, ou na pior das hipóteses devolvemos-na… Pense bem, este é um processo que PRECISA acontecer aos três anos, um processo que faz parte do desenvolvimento emocional, seu(sua) filho(a) vai crescer sim, e viverá outras fases deliciosas, nas quais você também estará participando…

Leia também...

Deixe um comentário