Como Degustar Vinhos – Parte 1

Atendendo aos pedidos dos nossos leitores vamos fazer uma série de postagens ensinando como degustar vinhos e entender esse universo que tanto me encanta.

Vem comigo que hoje vou te ensinar os primeiros passos nesse mundo sem volta…

Um bom vinho é, acima de tudo, um vinho do qual você goste suficiente para beber, porque o seu principal objetivo é proporcionar prazer.

Depois disso, a qualidade de um vinho depende da maneira como ele atende um conjunto de padrões de desempenho, acordados e estabelecidos por especialistas treinados. Esses padrões envolvem conceitos como: equilíbrio, persistência,complexidade e fidelidade a sua tipicidade (cabernet tem que parecer com o que se espera de um, por exemplo). No entanto, nenhum desses conceitos é objetivamente mensurável.

Degustar o vinho quer dizer reservar um tempo para refletir sobre o que se está bebendo. Se você se dedicar alguns minutos para se concentrar no vinho – observá-lo, cheirá-lo e só então prová-lo – poderá experimentar todas as nuances e apreciar integralmente sua complexidade.

DSC_7430

Dicas para tirar o melhor de cada garrafa:

– Usar uma taça transparente e não lapidada, que possibilite enxergar o vinho com nitidez.

– Use fundos brancos.

– Pense carinhosamente na harmonização.

– Entenda e respeite o que está provando.

Quesitos a serem avaliados:

1º. Na taça: Cor e textura já possibilitam deduções sobre a origem, idade e possíveis sabores.

2º. No nariz: Cheirar, sentir os aromas e ter ideias do que está por vir.

3º. No palato: Finalmente a prova. Experimentando seus sabores.

Na próxima quinzena volto pra falar de um dos meus momentos favoritos na degustação: os aromas.

Até a próxima coluna, Keli Bergamo.

Ps. As lindas fotos são da minha amiga e fotógrafa Tracy Tupich.

Leia também...

Deixe um comentário