Como comprar vinhos em supermercados

Sabia que o vinho sofre muito preconceito no Brasil?
Por não ser uma bebida de consumo intrínseco em nossa cultura ainda tem gente que  torce o nariz para ele, acha que vinho bom é só o caro e que são necessários “esnobismos” para seu consumo.

Vinho é simples, é para ser consumido o ano todo e pode ser comprado inclusive em supermercados, onde o ambiente informal pode inclusive facilitar as descobertas.
Por isso hoje trago algumas dicas para você se aventurar nas prateleiras do supermercado mais próximo e sair com um bom rótulo para o jantar:
  • Dê preferência aos vinhos jovens: Nem todo vinho fica melhor com o tempo. A verdade é que a maioria se beneficia do consumo imediato e quando se fala em vinhos de custo mais baixo,aumentamos ainda mais essa proporção. Isso porque um vinho que  exige guarda também exige investimentos, o que aumenta seu custo total e não é o foco desse tipo de comércio. Assim, garrafas mais antigas estarão ali possivelmente porque “sobraram” e não porque representam a melhor opção.
  • Verifique a exposição dessas garrafas: muita luz, natural ou artificial, fatalmente trará envelhecimento precoce ao vinho. Fuja das expostas em grandes vitrines.
  • Dê uma conferida no rótulo: Uma boa equipe de compras e reposição de vinhos terá o mínimo de cuidados necessários para não danificar os rótulos, que são os cartões de visita de qualquer vinho. Rótulos sujos ou rasgados indicam armazenamento inadequado. Passe para a próxima prateleira.
  • Em um mundo perfeito as garrafas com vedantes de cortiça deveriam ser armazenadas horizontalmente, mas não é o que vemos na maioria dos supermercados. O armazenamento vertical provocará o ressecamento da rolha e consequente oxidação mais rápida do vinho, diminuindo assim o seu tempo de vida. Mais um motivo para preferir safras jovens. Quando falamos em vinhos de tampa de rosca, no entanto, o armazenamento adequado é o vertical, modo como a maioria fica exposto, pelo que a recomendação é pela escolha deles nos supermercados. Tem dúvidas sobre a qualidade dos vinhos fechado com tampa de rosca? Então clique aqui.
  • Com raras exceções, os vinhos de Novo Mundo (especialmente Chile e Argentina) são melhores opções quando falamos em compras nos supermercados. Isso porque os vinhos do Mercosul possuem vantagens de entrada no mercado brasileiro em relação aos vinhos europeus e podem ser de grande qualidade por um preço mais acessível. Acho difícil confiar em um francês da região de Bordeaux, por exemplo, que chega às nossas prateleiras por volta dos R$30,00.
  • Observe a cor do líquido – e nos brancos isso é mais fácil: Se o branco estiver beirando os toques de laranja melhor esquecê-los. Nos tintos, uma olhadinha na lateral do gargalo dará uma ideia do tom. A cor muito marrom ou turva (lembrando que estamos falando de vinhos jovens) indica que está a um passo ou já virou vinagre.
  • Tá procurando espumantes? Esqueça aquele italiano que te falaram que é chique e foque nos nacionais. A variedade é grande e o custo benefício inigualável.

E aí vocês me perguntam: Keli, você compra vinhos no supermercado?

Muuuuito! As vezes acerto e repito a compra e as vezes encontro vinhos muito simples e que viram ingrediente de um prato… O importante é que como o investimento em vinhos de supermercado é mais baixo, mesmo que o vinho não lhe agrade ou surpreenda você não terá um grande prejuízo.

Aproveitando, essa foi minha última aquisição em supermercados, mais precisamente na Rede Super Muffato: Santa Julia Rosado Syrah, Safra 2015: Um rosé argentino de R$35,90, estruturadinho, com aromas de tuti fruti e uma delicinha para aperitivos, pratos leves a base de carne branca ou massas. Foi recomendação da querida Stela, sommelier da rede.

vinhos em supermercados

Em breve mostrarei aqui outros rótulos que sempre compro nos supermercados. Quem garimpar algo bacana até lá me conta, tá?!

Até a próxima coluna, Keli Bergamo.

Leia também...

Deixe um comentário