Ceia pequena, garrafa pequena.

As festas de final de ano serão diferentes, com menos pessoas e, consequentemente, menos comida e bebida.

Pera, mas não posso deixar de dizer: A frase acima é imperativa, não é hora de fazer festão, gente!

Mas não podemos deixar de comemorar e agradecer a saúde e o que o ano – desse jeitão maluco dele – nos proporcionou.

Porém se você está agindo com sensatez e irá reunir pouca gente nas ceias, minha recomendação é buscar meias garrafas, as garrafas de 375 ml de vinhos, que podem ser consumidas mais rápidas e sem desperdício.

Para isso, e antes de recomendar alguns rótulos, vou dar algumas dicas:

  • Garrafas pequenas envelhecem mais rápido: Aqui aquela regra do quanto mais velho melhor – que já contamos ser uma exceção – aqui não se aplica messsssssssmo. Quando for comprar, busque garrafas de safras mais novas.
  • Não fique preocupado se é tampa de rosca ou cortiça. Os vinhos de meia garrafa já são pensados para o consumo mais jovem, a rosca, no caso, é ainda mais benéfica – e prática – pra eles.
  • O vidro tem um valor impactante no custo do vinho, portanto as meias garrafas nem sempre custam a metade de uma garrafa full mas para evitar o desperdício vale a pena!
  • Aproveite as garrafinhas depois: Depois de aberto um dos maiores inimigos do vinho é o oxigênio que fica no espaço vazio da garrafa. Aproveite essas menores de tampa de rosca para armanezar o que restar de garrafas grandes em outras oportunidades. Menor espaço interno, menos oxigênio, vinho bom por mais tempo.

Mas vamos às dicas? Nem todo produtor trabalha com meias garrafas porém selecionei alguns que gosto e que provei recentemente e posso atestar que estão ótimos. Além disso, são facilmente comprados em todo Brasil:

  • Espumante Art Casa Valduga: Método Tradicional, corte clássico de Chardonnay e Pinot Noir. Perfeito para acompanhar o jantar e para brindar a chegada de 2021. Tem em vários pontos de venda – inclsuvie supermercados – pelo Brasil e no site Meu Vinho.

  • Emiliana Adobe Chardonnay : Daqueles brancos com breve passagem por madeira e muito fáceis de combinar. Produção orgânica. Quem importa é a La Pastina e tem ampla distribuição pelo Brasil.

  • Estandon Brise Marine Mediterrane: Como o nome já diz, esse rosé é puro frescor! Ótimo para comidinhas leves mas também para dias de sol na piscina. Importado pela Grand Cru.

  • Fausto Merlot – Pizzato: Para quem não abre mão de tintos, o melhor é escolher vinhos mais macios, sem muitos taninos ou muita madeira.  A linha Fausto da Pizzzato é ótima e facilmente encontrável pelo Brasil. Para conhecer mais sobre ele clique aqui.

 

Se quiserem relembrar as dicas de harmonização para comidas típicas de final de ano é só acessar esse post lindão.

E lembrem-se: Estamos em pandemia. Comemore com consciência.

Feliz Natal e que nosso 2021 seja leve.

Até a próxima coluna, Keli Bergamo.

 

Leia também...

Deixe um comentário