Já falamos há algum tempo aqui que carne vermelha não necessariamente precisa acompanhar vinho tinto (relembre aqui), mas para não errar, essa é a combinação clássica.

Mas são tantos cortes de carne e taaaaaaaaannnnnnnnntos tipos de vinho. Será que todo mundo vai bem com todo mundo? Claro que existem combinações mais adequadas e é sobre isso que vamos falar hoje aqui.

Primeiramente é bom lembrar que você pode escolher o vinho pelo modo como irá cozinhar seu prato, mas como esse assunto é bem longo, vou deixar para falar sobre ele na próxima coluna…

Hoje vamos nos ater aos cortes de carne grelhada em brasa (churrasco) que são mais consumidos por aqui:

  • Picanha: A picanha é uma carne macia envolta por uma capa de gordura. Os bons comedores de churrasco sabem que é um sacrilégio tirar a gordurinha da carne e para harmonizar com ela, a pedida é um bom Cabernet Sauvignon, com taninos suficientes para deixar o casamento da carne, da gordura e do vinho perfeito.
  • Contrafilé: O contrafilé é um corte suculento e com fibras mais vigorosas. Além de taninos bem presentes, o ideal é que o vinho seja também mais encorpado. Uma boa dica são os Malbecs de nossos hermanos argentinos ou Bordeaux da região de Graves.
  • Costela: A costela é um corte muito macio mas bem gorduroso. Se servida sem molho, a pedida é um vinho encorpado e tânico como o Malbec. Eu particularmente adoro a combinação com Tannats da Campanha Gaúcha ou Uruguai. Se acompanhada de um molho mais picante ou agridoce, vinhos elaborados com Syrah serão perfeitos.
  • Maminha: Mais macia, a maminha pede um vinho um pouco mais leve. Uma boa pedida é um rótulo elaborado com a uva Sangiovese.
  • Fraldinha: Minha favorita! Tem pouca gordura, fibras macias e fica uma delícia com vinhos a base de Merlot. Que tal provar com um belo exemplar brasileiro do Vale dos Vinhedos?
  • Paleta de Cordeio: Se temperada com alho, azeite e ervas, essa carne suculenta fica perfeita com um Bordeaux mais maduro, com predominância de Carbernet Sauvignon.
  • Linguiça: Uma boa pedida para a linguiça, que geralmente é bem condimentada, são os vinhos elaborados com a uva Zinfandel ou Shiraz.

Na dúvida, escolha seu tinto favorito e curta o momento.  Tá muito calor para os tintos? Lembre-se que os espumantes elaborados pelo método tradicional são coringas harmonizatórios.

Gostaram?  Na próxima coluna eu volto falando de como o meio de cocção interfere na escolha do vinho. Até lá, Keli Bergamo.

Leia também...

Deixe um comentário