CÂNCER DE MAMA EM FÊMEAS CANINAS E FELINAS

O câncer de mama recebe destaque neste mês de outubro, para ressaltar a importância de seu diagnóstico precoce e tratamento em nós mulheres. Mas não é apenas em nós que o câncer de mama pode acometer, as fêmeas caninas, felinas, e de outras espécies também podem sofrer desta doença. Nosso destaque de hoje será o acometimento em cadelas e gatas.

As glândulas mamárias da cachorra e da gata são glândulas cutâneas sudoríparas modificadas, estão arranjadas em duas fileiras paralelas desde a região da axila até perto dos membros pélvicos, correspondendo entre 5 a 4 pares de mamas.  A imagem abaixo demonstra como são posicionadas as mamas nestas fêmeas.

cancer-canino-01

O desenvolvimento da glândula mamária se inicia em conjunto com a puberdade. Quando os ovários começam a sofrer mudanças fisiológicas induzidas pelas produções de estrógeno e progesterona. Quando a gestação não ocorre, a glândula mamária se torna apenas subdesenvolvida.

Quando as mamas começam a sofrer várias alterações hormonais induzidas pelo estrógeno e progesterona, a ocorrência de câncer será muito maior.  Desta forma, ocorre uma modificação da estrutura da glândula mamária, levando ao crescimento de uma massa em uma ou todas as mamas. Estas alterações nas mamas ocorrem em cadelas e gatas idosas, em torno dos 6 a 15 anos de idade e geralmente em fêmeas não castradas ou que sofreram suscetíveis aplicações de medicamentos para interferir no cio. Estas medicações são a base de hormônios, aos quais fazem com que estas mamas sofram uma resposta hormonal ainda maior, e o tecido se multiplicar de forma errônea.

Os tumores mamários se desenvolvem geralmente nas mamas perto dos membros pélvicos, podendo conter um ou mais nódulos de diferentes tamanhos em ambas as cadeias mamárias. Parte destas massas são facilmente móveis, mas podem ficar fixas na musculatura ou no tecido subjacente. As massas podem ser fixas ou pedunculares, sólidas ou líquidas e ulceradas (feridas abertas) ou cobertas por pele e pelos.

cancer-de-mama-canino

A palpação das mamas nestas fêmeas em idades avançadas também é muito importante!

Quando palpamos cada mama, se notamos qualquer tipo de alteração como uma pequena bolinha de consistência dura, ou secreções que saem dos mamilos de coloração escura ou com sangue é um alerta, e a paciente deve ir fazer uma visita ao seu médico veterinário. Ele ao avaliar pedirá exames para um melhor diagnóstico e diferenciar de outras doenças que se assemelham. O câncer de mama nas cadelas e nas gatas dependendo do seu estágio podem ter cura, em casos mais avançados ao qual é diagnosticado em conjunto uma metástase, o veterinário irá indicar a melhor forma a se fazer, por isso, quanto antes notar e o veterinário acompanhar, melhores serão as chances desta paciente.

O tratamento se baseia na retirada cirúrgica do tumor, o mesmo é encaminhado para um exame que identifica as características das células tumoral, para posterior seguir o tratamento com quimioterápicos específicos. Em alguns casos em que os tumores apresentam características de se alastrarem para outras mamas rapidamente o tratamento é apenas paliativo.

Uma forma de evitar no futuro o aparecimento de tumores mamário é castrar a fêmea antes de completar o primeiro cio. As chances de serem acometidas por tumores de mama após a castração neste período corresponde a 0,05%. Caso sejam castradas após o primeiro cio as chances de tumores aumentam para 8%.

Faça você mesmo a palpação em casa e caso note algo de diferente leve o quanto antes sua gata ou cachorra de meia idade a idosa fazer exames mais aprofundados com seu médico veterinário. Vale lembrar que quanto antes o diagnóstico, melhores são as chances de cura!

Outubro rosa também para as nossas pet´s!

cts9a_fueaadcci

Até o próximo mês!

Leia também...

Deixe um comentário