Burning Man, a life changing experience

O Burning Man é definido como um festival de contracultura, um experimento social de arte, comunidade, autoexpressão e autossuficiência que acontece anualmente (desde 1986) entre a última semana do mês de Agosto e a primeira semana do mês de Setembro no deserto de Black Rock, no estado americano de Nevada, dura oficialmente 07 dias e reúne cerca de 75 mil pessoas. É preciso levar todos os itens necessários para sua sobrevivência no deserto. E pasmem, no cupom de entrada está escrito em letras grandes: “Você está assumindo voluntariamente o risco de morte ao comparecer a este evento.”

A maioria das pessoas pensam que o Burning Man é um grande festival de música eletrônica, como uma Tomorrowland, Coachella só que muito maior. Comigo não foi diferente! Eu descobri o Burning Man através de vídeos na internet, eram vídeos impressionantes, pareciam filmes, coisa encenada, com festas eletrônicas comandadas por DJ’s consagrados que aconteciam no meio do deserto em cima de carros mega enfeitados com luzes e pessoas fantasiadas de inúmeras formas! A primeira vista você tem mesmo a impressão de que se trata de uma Rave no meio do Deserto, mas pesquisando a fundo acaba descobrindo que as festas são apenas um brinde a mais em tudo que o Burning Man te proporciona.

BM PESSOAIS (8)

Pesquisei muito sobre o Burning Man antes de ir e li que “Explicar Burning Man a alguém que nunca tenha estado ali é como tentar explicar a um cego como é uma cor”! Estando lá, descobri que realmente se trata dessas experiências que é preciso viver e que não se pode explicar porque é diferente de tudo que você vai experimentar na vida. É um desafio físico e mental.

Mas vamos lá, vamos iniciar falando por onde tudo começou…

O Primeiro Burning Man aconteceu em 1986 em uma praia de São Francisco. Larry Harvey e seu amigo Jarry James construíram um homem de madeira para queimá-lo. Na época o evento reuniu mais ou menos 20 pessoas. A partir daí o Burning Man foi repetido todos os anos com um número maior de participantes até que em 1990 a policia impediu a queima da estátua. Diante disso, tiveram que procurar um novo local e em 1991 resolveram queimar o homem no deserto (Black Rock Desert). Foi um sucesso, em torno de 250 participantes assistiram a queima do boneco de 13 metros de altura. O sucesso do lugar foi se firmando como parte do evento. Distante da cidade, livre para se desenvolver com suas características sem incomodar a sociedade tradicional.

ESCULTURAS - O Man

Hoje o evento recebe uma média de 70 mil pessoas. O boneco também cresceu, agora ele tem mais de 15 metros de altura e é erguido bem no centro do evento. Ele observa a todos durante o festival e no sétimo dia é queimado com uma grande celebração com fogos de artifício e música.

O lugar do evento chamado de Playa é muito bem organizado, com áreas separadas para os acampamentos e para as atividades, performances e whorkshops que rolam durante o festival. Conta até mesmo com um aeroporto com controle de tráfego e tudo que tem direito.

Neste ano, eu e meu namorado, Gabriel Silvério, decidimos que precisávamos conhecer de perto o festival de que tanto ouvíamos falar. Não medimos esforços para conseguir os disputados ingressos (a venda oficial começa em janeiro mas acaba em minutos), organizar as passagens, conexões, mantimentos, aluguel de carro. Pesquisamos dia e noite, incansavelmente tudo que era necessário para fazermos uma boa viagem. Não foi fácil, mas chegamos lá.

CONGESTIONAMENTO PARA BM (2)

Bem, estávamos quase lá … mas para chegar até a portaria do festival nós enfrentamos 11 horas de congestionamento (para percorrer 30 km), pois veja bem, são 75 mil pessoas pra chegar no mesmo lugar e no mesmo dia! Apesar de todo o sofrimento pra chegar até o local, quando enfim chegamos até uma senhora que receberia nosso ingresso e entregaria nossos Guias fomos surpreendidos de cara pelo espírito de paz, amor e receptividade que existe no festival.

CONGESTIONAMENTO PARA BM (1)

Esta mesma senhora que recebeu nosso ingresso, gritou para seus colegas que estavam mais a frente que eu e meu namorado éramos virgens (estávamos indo ao Burning pela primeira vez) e por isso fomos convidados a descer do carro e “sentir a areia”. Essa senhora nos recebeu com um abraço indescritível e nos explicou que aquele lugar tinha muita areia, que haveriam tempestades constantes e que essa areia iria entrar nos nossos olhos, na nossa roupa e ia estar presente em tudo que estivéssemos levando. Mas que aquela não era uma areia que sujava, mas que purificava, que era uma areia sagrada. Que era para guardarmos com muito carinho uma das peças de roupa que estávamos usando naquele momento, pois quando voltássemos para nossas casas e o mundo aqui fora fizesse com que sentíssemos raiva, nervosos, tristes ou qualquer coisa que não nos fizesse bem deveríamos pegar aquela peça de roupa e que todo sentimento ruim passaria! Foi tão especial, é uma recepção tão linda, tão aconchegante que você desmorona, caí de queixo com tanto amor distribuído ali nas nossas mãos!

Então ao chegar no local, você recebe um mapa da Playa mostrando onde estão as principais instalações e os acampamentos. A organização do evento define as ruas, mas habitá-las é tarefa dos Burner’s (como são chamados todos os participantes do festival). As pessoas chegam, montam suas barracas, estacionam seus trailers ou motorhomes onde escolherem e por lá ficam até o final do Festival. Lá não pega celular e você vai ficar totalmente isolado do mundo aqui fora.

Mirante de Black Rock City

Existem os chamados “camping’s” ou  “acampamentos temáticos” que são acampamentos comunitários, organizados por pessoas que frequentam o festival todos os anos e onde dividem uma estrutura comunitária montada por eles, como cozinha, chuveiros, áreas de repouso entre tantas outras coisas que fazem sua estadia no deserto mais tranquila.

White Ocean

No centro da Playa fica o Center Camp, um centro de atividades que funciona 24 horas por dia com exposições de arte, venda de café e chá (além de gelo essas são as a únicas coisas que se comercializa por lá) e também a distribuição de muitos presentes que os Burners levam como lembrança do festival para os demais.

A cidade tem serviços de saúde, policiamento, saneamento (banheiro químico, mas tá valendo). E o papel da organização do evento é mais ou menos esse, fornecer a estrutura física geral e fiscalizar o bom andamento do evento.

Já os acampamentos, os bares, os DJs, as instalações de arte, tudo é construído pelos participantes do evento no espírito da doação, do esforço comunitário e da participação. São 75 mil pessoas construindo um festival em comunidade. Por isso tem um milhão de coisas acontecendo ao mesmo tempo!

Robot Heart 1

O meio de transporte mais utilizados pelos Burner’s são as bicicletas e sem uma delas sua vida no festival vai ficar bem difícil! A extensão do festival é gigantesca e como não é permitido circular com carros por lá é muito cansativo e praticamente impossível visitar tudo a pé. Os únicos carros que podem circular na Playa são os alegóricos (ornamentados/enfeitados das mais diferentes formas), que variam de carrinhos de golf enfeitados com Led e neon até trios elétricos enormes construídos e adaptados para o festival.CARROS - Galo(1)

Porém, há um camping de bicicletas comunitárias, chamado Yellow Bikes, que possuem inúmeras bicicletas comunitárias que podem ser usadas por qualquer pessoa no festival, a única regra é que você não pode impedir que outro participante use a bicicleta e funciona mais ou menos assim; se você encontrar uma Yellow Bike estacionada em qualquer lugar sem que alguém esteja pedalando nela, você pode usá-la e larga-la no lugar que você parar! Quem for encontrando pode ir usando! O mais engraçado é que todas as bicicletas comunitárias deste camping são verdes! Apenas uma amostra de que lá você não vai mesmo entender muitas coisas.

Robot Heart

Como o Burning não tem um line-up ou atrações definidas quem faz o Festival são os participantes. Por isso as pessoas se reúnem nos acampamentos temáticos com o propósito de doar alguma experiência à comunidade.

Alguns acampamentos montam bares e levam muita bebida para distribuir, mas muita bebida mesmo. Cervejas de todos os tipos, whisky, champagne, vodka. Distribuem todo o tipo de comida típica de onde vieram e outros oferecem aulas de todos os tipos; como Yoga, Meditação, Sexualidade, Malabarismo, artes em geral, dentre outras várias opções que você fica até meio indeciso e sabe que será impossível ver tudo em sete dias. Alguns acampamentos criam obras de artes criativas e interativas para as pessoas participarem.

Prática de Yoga

Tem uma infinidade de acampamentos que oferecem festas o dia todo. São deles que saem os famosos vídeos da internet. Esses acampamentos montam estruturas impecáveis de som e decoração, trazem DJ’s famosos mundialmente e muitos ainda oferecem bebida a vontade o tempo todo. Basta você mostrar sua Identidade e ganhar um carimbo para usufruir do estilo open bar.

Além de tendas fixas para a realização das festas, alguns acampamentos são famosos por terem carros alegóricos que circulam por toda área da Playa. Um exemplo deles é o Robot Heart, que neste ano contou com DJ’s top mundiais como; Yokoo, Bob Moses, Bedouin, Blond:ish e outros. Esses carros alegóricos são um show a parte, pois são enfeitados com luzes de led, equipamentos de som de qualidade ímpar e tornam as noites do festival muito mágicas. É lindo de ver!

Robot Heart 3

Outro exemplo de Carro que circula pela Playa e cativa vários seguidores de bicicleta é o Polvo Mecânico, que solta laberadas de fogo por onde passa fazendo um show de pirofagia sem igual!

CARROS - Polvo Mecânico 01

Além dos acampamentos, pessoas que vão sozinhas, assim como eu e meu namorado fomos, aproveitam essa oportunidade para botar pra fora sua criatividade, no espírito da auto expressão radical e por isso, todos os participantes do evento saem fantasiados das diferentes maneiras durante o festival. É possível que você cruze por um coelho gigante ou um anjo, ou uma odalisca, sem falar na infinidade de peladões e das meninas de top less! E uma coisa eu afirmo; não tem idade!

BURNERS - Senhor de 70 anos

No primeiro dia levei um choque, pois a grande maioria dos participantes do festival são pessoas que já passaram da meia idade e carregam famílias inteiras para dividir experiências e mudar a vida do outro, resgatando virtudes que se perderam com o tempo como o amor ao próximo que pode ser vivenciado através do compartilhamento das mais variadas coisas, seja comida, experiências ou até mesmo uma massagem chinesa oferecida em uma cama adaptada com as montanhas ao fundo. Vimos crianças de todas as idades, de bebês a adolescentes, todos curtindo o festival que oferecia até mesmo uma escola para elas e também a vila kids, além de inúmeras atividades específicas para os pequeninos.

Crianças

São muitas coisas ao mesmo tempo, mudando sua forma de ver a vida! No começo é difícil até você entender o que esta acontecendo, parece que você esta viciado no egoísmo da atualidade do mundo lá fora. Ate você se situar vai um tempo, mas depois que você está limpo, não consegue se imaginar vivendo como no mundo aqui fora. Você acaba ficando extasiado com tanto amor e paz, com tanta gente praticando bondade e partilhando de tudo.

Café da Manhã Free

Após o susto do começo, o deslumbramento e a ansiedade, vem a vontade de ser um verdadeiro Burner e não um mero espectador. De sair e conhecer novos amigos, conhecer a historia de cada camping e de cada pessoa que faz parte dele. De sair pedalando atrás dos carros alegóricos para curtir a festa até o sol se pôr, até ele nascer ou quem sabe os dois no mesmo dia? Sente vontade de sair em busca de um lugar aconchegante no meio do sol escaldante e das tempestades de areia que você só vê igual nos filmes, mas até isso se torna maravilhoso, simplesmente porque você está lá.

BM PESSOAIS (2)

É praticamente impossível encontrar uma definição para este evento. Cada um tem uma visão diferente e eu queria muito poder explicar o que é, mas mesmo que eu tente é impossível colocar em palavras o que é a energia, as experiências e todas as surpresas que você encontra em cada canto da Playa. Você se vê rodeado pelas pessoas mais espontâneas do planeta e fica com a sensação constante de que você está em outro.

Durante uma semana todos esquecem a noção do ridículo e soltam-se numa grande demonstração de que o lema “Paz e Amor” dos anos 60 ainda é possível!

Lá, você chega e queima todos os seus pré-conceitos e assim como eu não poderá fugir da sina de resumir sua vida antes e pós Burning Man.

BURNING MAN ESCULTURAS - Cobra de Fogo 01 ESCULTURAS - Cobra de Fogo 03

E falando em queimar, além do Man, existem outras esculturas e obras gigantescas que também são queimadas por lá. Inclusive o Templo das Promessas que é um lugar enorme, todo feito em madeira vazada, que é usado para homenagear os mortos e entes queridos dos participantes.

 Além do templo, todas as centenas de obras, levantadas por engenheiros, arquitetos e artistas primorosos, dignas dos melhores museus do mundo, que chamariam a atenção de milhões de turistas são queimadas ao longo do evento. Queimadas inteiras, isso mesmo. E para que? Para promover o desapego, para mostrar que tudo isso é uma experiência transcendental.

Enfim, o festival é muito mais que todos os vídeos e fotos que eu venho acompanhando há anos ou todos os artigos que eu li antes de ir. E essa é sua beleza; a capacidade de ser quase surreal!

BM PESSOAIS (6)

Um americano muito querido que conheci lá me disse que ele poderia tentar explicar, mas mesmo tendo ido sete vezes seguidas ainda faltavam palavras para lhe fazer justiça e por isso continuava indo! Pra mim também será assim!

Não sei se todos que já foram enlouqueceram como eu ao ver cada oportunidade que o festival oferece, mas apenas a ideia de mudar todos os seus conceitos através da arte e da espiritualidade já cativa qualquer pessoa.

BM PESSOAIS (5)

Existem milhões de fotos, vídeos e tantos momentos do Burning Man  que eu gostaria de dividir! Mas a melhor parte a foto não pega, a melhor parte não se pode mostrar em vídeos ou até mesmo nestas várias linhas que escrevi, por que a melhor parte é a mudança aqui de dentro!

Foi uma semana sem restrições, guiada pela liberdade, onde se desliga de tudo e se liga a todos. Um espetáculo indescritível, inenarrável, onde a regra número um é que não há meros espectadores, todos fazemos parte desse show! E o que eu quero é que essa magia, essa mudança, essa experiência queime para sempre dentro de mim!

Leia também...

Deixe um comentário