E que haja um bar! Em tempos que queremos receber gente na nossa casa, preparar momentos especiais com amigos e família, a maioria das pessoas deseja um cantinho para apoiar os bons drinks.

Separamos três dicas para que você receba seus humanos preferidos (e a sogra) de forma maravilhosa… no caso da mãe do teu bem, de forma amigável já é o suficiente.

Primeiro de tudo, após identificada a vontade de ter um canto para as biritas, é ver quanto espaço podemos destinar para isso.

Depois de termos uma dimensão definida, vamos pensar nas possibilidades mais adequados ao que você dispõe, desde um carrinho bar:

O carrinho bar é super interessante para locais onde você precisa de mobilidade, talvez uma casa com piscina, ou uma edícula, então, seu bar poderia migrar desde um ambiente até outro.

Os anos 70 – a década de 1970, é melhor explicar direitinho – estão na moda! Os móveis bar, que voltaram com tudo nas porções acima da linha do equador (já, já nós tupiniquins começamos a aceitar a ideia e aplicar nas nossas casas), vêm sem medo de se exibirem elegantemente pelas casas mundo afora:

Esse tipo de “móvel bar” é super indicado para quem quer oferecer bebidinhas, mas que consome pouco álcool, visto que ele não abriga muita coisa.

Caso você esteja construindo e tem costume de receber e vai investir num espaço maior para as festas, já é legal uma área generosa, onde possa comportar mais coisas e aparelhos.

Como podem ver, essa terceira modalidade já é um verdadeiro adendo ao espaço gourmet.

Depois, já contabilize aí a segunda dica: É legal pensar em um estilo. Tomo mundo quer um bar com cara de pub inglês, com muitas garrafas, muitos quadrinhos de rótulos de bebidas, madeira de demolição… mas e o restante da casa? Será que combina? Então fica a dica aí para você não se emocionar no bar e esquecer que ele pode estar inserido em uma decoração completamente destoante. Atualmente é perfeitamente possível exibir um bar glamouroso, até mesmo numa pintura metalizada:

E a terceira dica começa com algo que me deixou perplexo. Durante as pesquisas para este post sobre bares, me deparei com várias matérias destrinchando regras absurdas e obsoletas sobre o que você PRECISA ter no seu bar, quanto a variedade de copos, taças, e o mais ignorante de tudo: tipos de bebidas.

Olha a lista de bebidas que uma pessoa passou:

“água sem gás; água com gás; água tônica; vinho tinto; vinho branco; espumante; vodka; saquê; cervejas; licores — dois a três tipos; rum; gin; whisky; cachaça; refrigerantes; sucos.”

 

Agora me diz, EU (Lelo escrevendo aqui) por exemplo, não bebo cerveja, mas gosto de absinto. Então as regras dessa matéria já não funcionaram para o meu bar.

Fora os acessórios, né gentEEeee? Dessa lista gigante, acho que o mais interessante é: Procurar coisas que tenham funções múltiplas e também adequar aos tipos de coisas que costuma ter e servir. Nesta hora, brasileiros e brasileiras, é que você percebe o que é impossível não ter no seu bar. Como fazer a caipirinha tem a tabuinha, o socador do limão e a faquinha para o mesmo.

Aqui para você ter uma ideia das possibilidades de itens que farão parte do seu acervo:

“copo longo; copo americano; copo para whisky; copo para cachaça — pode ser usado para beber vodka e licores gelados também; copo baixo para drinks, como caipirinha; taça para vinho; taça para espumante; taça dry martini; caneca para cerveja; coqueteleira; colher longa; balde de gelo; pegador de gelo; bandeja para copos e garrafas; porta copos; socador; abridor de garrafa; abridor de vinhos; conjunto de facas; tábua de madeira ou vidro; guardanapos.”

Na verdade essa montagem do bar, a gente pode pedir pro maravilhoso do João passar uma listinha básica.

A terceira regra é: Tenha em casa o que você gosta, no máximo o que os seus convidados frequentes costumam beber. Mas no mundo real, se o seu amigo é um parça de verdade, ele vai trazer a bebida dele, e uma pra você de presente.

É ASSIM QUE SE AGRADECE CONVITE PRA JANTAR, AMORES! Dê o goró pro anfitrião.

Agora eu vou ali procurar um Gin, porque bateu uma abstinência aqui.

Um beijo,

Lelo

Leia também...

Deixe um comentário