Olá pessoal!!! Tudo bem com vocês??? É com grande prazer e alegria que a partir deste ano começo a fazer parte da FAMÍLIA ARQUITETANDO ESTILOS. Trarei semanalmente histórias, dicas e receitas de preparações deliciosas para vocês fazerem em casa com a família ou com os amigos. Espero que gostem das matérias e peço que dêem sugestões sobre o que vocês gostariam que eu escrevesse nas próximas semanas.

Resolvi começar o AE Gourmet escrevendo sobre um ingrediente bem comum que temos em nossas cozinhas: o AZEITE. Contarei um pouco se sua história e do quão importante ele foi na vida dos povos antigos, além de ensiná-los duas receitinhas deliciosas de azeites aromatizados. Vamos lá?!

Não se sabe ao certo quando e como o azeite surgiu, fato é que ele é muito antigo. O primeiro indício de cultivo das oliveiras data de mais de 6 mil anos na região do Mediterrâneo Oriental, onde atualmente se encontram a Síria e a Palestina. Sabe-se que o azeite não era utilizado como alimento, mas sim como emoliente para a pele, para protegê-la contra o frio e como combustível para as lamparinas.

Entre os anos 5000 a.C. e 1400 a.C., o cultivo da oliveira se disseminou por Creta, Síria, Israel, Palestina, Chipre, Egito e sul da Turquia. Até o anos 1500 a.C., a Grécia foi a área que mais cultivava oliveiras, atingindo o sul da Itália. As oliveiras foram plantadas em todo o mediterrâneo sob o Império Romano.

Para os egípcios, as oliveiras eram símbolos de vida, força e fertilidade. Além das azeitonas, seus ramos eram usados para adornar as tumbas dos faraós, para protegê-los no além vida. Na Grécia Antiga, seus ramos se tornavam coroas para premiar os vitoriosos em jogos amistosos ou em grandes guerras. O azeite de oliva ficou conhecido como o “ouro líquido”, tornando-se símbolo de sabedoria, paz, abundância e glória para os povos, por esse motivo, foi um produto muito valioso no comércio.

Pela mitologia grega, o azeite de oliva se originou de uma disputa entre Poseidon (deus dos mares) e Atena (filha de Zeus, deusa da sabedoria e batalha), para saber quem teria uma cidade com o seu nome, lançando um desafio: quem desse à humanidade o bem mais útil, seria o vencedor. Poseidon deu uma fonte de água do mar, como forma de dizer que seu povo seria guerreiro e navegador. Atena fez germinar uma oliveira sobre a Acrópole, uma árvore imortal que daria frutos para serem usados como alimentos, remédio, fonte de luz e calor. Diante disso, não se faz necessário dizer quem ganhou a disputa.

Atualmente, Espanha, Portugal e Itália são os maiores produtores de azeite de oliva. Existem mais de 100 espécies de azeitonas cultivadas por todo mundo, destas, 60 espécies estão presentes no Brasil.

Azeitona

TIPOS DE AZEITE

Os principais tipos de azeite são o comum, virgem e o extra virgem. Sua classificação é feita pelo grau de acidez, que não é indicativo de maior ou melhor qualidade, mais ou menos sabor. Para ser considerado um azeite comum, deve ter grau de acidez até 3,0; azeite virgem tem grau de acidez entre 0,9 a 2,0 e o azeite extra virgem tem até 0,8.

 

AROMATIZANDO O AZEITE

A arte de misturar ingredientes ao azeite é muito antiga. Na Grécia Antiga foi encontrada uma lista de especiarias que eram adicionadas ao azeite de oliva para preparar pomadas.

Na gastronomia, os azeites aromatizados são utilizados em marinadas, durante o cozimento de um prato, no preparo de molhos e em finalizações. Dependendo do ingrediente utilizado para a sua aromatização, pode acompanhar até uma sobremesa.

Para o preparo de um azeite aromatizado, será necessário um recipiente de vidro esterilizado, em água fervente, durante 5 minutos, junto com a tampa, depois mais 3 minutos com o recipiente emborcado. Retire da água e coloque sobre uma superfície com a boca para baixo para que possa escorrer toda a água e só utilizar quando estiver totalmente seco. Os melhores ingredientes para aromatizar os azeites são as ervas secas ou desidratadas, por possuírem menor teor de umidade, porém se optar por ingredientes frescos, deve-se tostá-los em um frigideira bem quente por alguns minutos. As especiarias devem ficar submersas no azeite quando este for colocado no recipiente. O azeite aromatizado deve ser armazenado em local com pouco contato com o oxigênio e com pouca incidência de luz direta.

25_53_azeitearoma

AZEITE AROMATIZADO COM PIMENTA

  • 200 ml de azeite de oliva
  • 1 pimenta dedo de moça fresca
  • 2 dentes de alho laminados
  • 1 colher (sobremesa) de mostarda em grãos
  • 1 colher (sobremesa) de coentro em grãos
  • 1 pote/garrafa de vidro com tampa

Modo de preparo

  1. Lavar muito bem a pimenta. Retirar as semente e secar bem.
  2. Tostar os grãos de mostarda e coentro em um frigideira bem quente, sem deixar queimar.
  3. Laminar o alho.
  4. Aquecer o azeite em uma panela.
  5. Adicionar ao azeite a pimenta lavada e seca, o alho laminado e os grãos de mostarda e coentro.
  6. Deixar liberar os aromas, em fogo baixo, sem deixar fritar.
  7. Envasar o azeite ainda morno em recipiente limpo.
  8. Identificar e armazenar em local seco e escuro.
  9. Consumir após 2 semanas.

*Sugestão de harmonização: carnes vermelhas, peixes, frutos do mar, pizzas, saladas, pães e molhos.

 

AZEITE AROMATIZADO DE LARANJA

  • 200 ml de azeite de oliva
  • 1 colhes (sopa) de pimenta-da-jamaica em grãos
  • 1 anis estrelado
  • 1 colher (chá) de cravo-da-índia
  • 1 pedaço de canela em pau
  • 1 pote/garrafa de vidro com tampa

Modo de preparo

  1. Em uma frigideira, aqueça os grãos de pimenta-da-jamaica, o anis estrelado, o cravo-da-índia e a canela em pau para liberar os aromas.
  2. Retire do fogo, espere amornar e coloque dentro do recipiente de vidro.
  3. Aqueça o azeite em uma panela e envase-o ainda morno.
  4. Identifique e armazene em local seco e escuro.
  5. Consumir após 2 semanas.

Sugestão de harmonização: tortas, sorvetes, crepes doces e bolos.

Espero que tenham gostado desse nosso primeiro encontro.Um excelente final de semana a todos, um super beijo e até semana que vem.

Tchau!!!!

 

 

Leia também...

Deixe um comentário