ATENÇÃO: o seu casamento pode estar em risco!

Muitas pessoas acreditam que precisa acontecer algo muito grave para um término do casamento, como por exemplo, uma traição ou brigas sérias constantes. Mas percebo que a maioria dos casamentos termina de maneira lenta, quase sem o casal perceber, após anos de desgaste por pequenas coisas, e as brigas e traições aparecem depois com esse enfraquecimento da relação.

Casais têm pago um preço alto por não conseguirem perceber e sentir a necessidade de avaliar e organizar seu casamento. Alguns até possuem o conhecimento, mas não sentem a importância ao ponto de colocar em prática princípios que fortalecem um equilíbrio na vida conjugal, indo então em direção ao desequilíbrio.

Identificar pontos negativos e mudar atitudes, palavras e ações é essencial para ter um casamento harmonioso e dinâmico. Mas não é fácil conseguir identificar o que pode estar desgastando não apenas a relação, mas cada um.

É nítido, em atendimento com casais, o quanto existem diferenças de prioridades e grau de importância para cada um e, também, cada lado possui uma percepção do problema, e por esses motivos, a dificuldade em identificar qual é o real problema se torna mais presente.

Vou abordar algumas questões importantes e corriqueiras, podendo parecer inofensivas, mas sendo negligenciadas são capazes de causar muitos estragos na vida conjugal.

ROTINA INSTALADA

Tem como fugir completamente da rotina o tempo todo? Claro que não!

A rotina tem o seu lado positivo, de organização do nosso tempo e atividades no dia a dia. Mas como tudo tem limite, a rotina também precisa ter, principalmente dentro do casamento. Ela pode se tornar um mal que se instala na vida do casal sem eles perceberem, deixando-o insosso, sem graça.

Por mais natural que seja entrarmos em uma rotina, devemos identificá-la e dar uma “chacoalhada” de vez em quando. Usar da criatividade, ter atitude, mudar, inserir novos hábitos satisfatórios para os dois podem favorecer muito o casamento.

FALTA DE DIÁLOGO

Quando o casal não conversa, existe uma tendência a se afastarem.

A conversa é importante não apenas para resolver os problemas e as dificuldades que o casal vai enfrentando, mas também sobre o dia de cada um, sobre planejamentos, assuntos agradáveis, enfim, todo tipo de assunto.

Questione mais como foi o dia do outro, pergunte como está, falem sobre coisas boas, deem risada juntos, comentem sobre o filme que assistiram, a comida que degustaram, os amigos que encontraram… procurem assuntos, que com certeza possuem.

FALTA DE CONTATO

Quando há um desgaste na relação, o contato físico vai ficando cada vez mais escasso. O casal para de se tocar, de fazer carinhos e carícias. Aquela “passadinha de mão” vai deixando de acontecer. As relações sexuais vão ficando cada vez mais raras, e quando acontece, são frias, sem muito contato com carícias, beijos, olhares…

Andar de mãos dadas, dar um abraço, um “chamego”, um beijo, deitar no colo, receber e fazer uma massagem são alguns comportamentos que devem existir sempre. Percebeu que isto não acontece mais? Mãos à obra!!

DESINTERESSE

Não saber nada do momento atual do outro. Perder o interesse pela vida do outro é um fator muito forte para o desgaste.

Não quer mais saber o que ele (ela) faz, fez ou irá fazer, não se interessa pelos projetos do outro, não sente necessidade de perguntar como está, como foi o dia, se a pessoa está bem ou não… ALERTA!! Não saber como tem sido a vida do outro nos últimos tempos pode ser um grande problema.

Se pergunte: o que mais incomoda o outro neste momento? Quais são os problemas no trabalho? O que o outro faz nas horas vagas, que você não está junto? São algumas perguntas, que se não conseguir responder, está na hora de dar mais atenção a isto.

NÃO FAZER MAIS COISAS JUNTOS

Quando a agenda de um exclui completamente o outro, tudo o que fazem são separados, é um sinal de que as coisas não vão bem.

Por mais que seja importante ter um momento separados, sem a presença do outro, o casal precisa sempre arrumar um tempinho para ficarem juntos, seja para assistir um filme, sair para jantar, fazer uma viagem, ter a companhia da família, dos filhos, curtir um momento juntos.

DAR MAIS PRIORIDADE AO AMIGOS DO QUE AO CÔNJUGE

Começam a ficar cada vez mais fora de casa, com amigos. Preferem ir ao encontro de seus amigos do que encontrar com o cônjuge. O seu lar deixa de ser confortável. Quando não existe mais a vontade de voltar para casa e encontrar a outra pessoa, alguma coisa está errado.

FALTA DE ESFORÇO PARA ENTENDER O OUTRO

Não dá importância para que o outro está dizendo em como está se sentindo, ignorando suas emoções, não se esforça para compreender o ponto de vista do outro, achando que o seu pensamento sempre está correto, são alguns pontos que desequilibram o estado emocional e a estrutura do casal.

Ter um olhar e uma escuta diferenciada, se colocando na posição do outro, facilita esta compreensão. Lembrando sempre: O que é importante para um, pode não ser para o outro, mas deve-se identificar a intensidade dessa importância que o cônjuge dá, para que haja uma compreensão maior de suas emoções, a fim de provocar uma mudança de comportamento.

FALTA DE RESPEITO

Críticas se tornam frequentes, nas brigas as ofensas aparecem, alteração de voz e agressões verbais e/ou físicas, mágoas são “tampadas com uma peneira”, xingamentos e descontroles, deboches, tudo isso é capaz de destruir sentimentos e admiração que um tem pelo outro.

DESCONFIANÇA

Qualquer comentário ou justificativa que o outro dê existe a desconfiança, sem ter motivo para tal.

Quando existem motivos, os mesmos não devem ser ignorados, mas sim trabalhados pelo casal, com a finalidade de resgatar esta confiança. Agora, quando não se encontra motivos, apenas se desconfia, algo que está encoberto que está atrapalhando. O diálogo neste momento se torna importantíssimo.

BRIGAS

As brigas se tornam cada vez mais frequentes, e por motivos pequenos. Não há vontade de entender o outro. Ao invés de conversarem e tentarem adaptar uma mudança juntos, há julgamentos e desgastes. Tudo vai ficando chato!

FALSA PAZ

Quando um sempre reclamou de uma determinada coisa, e sem acontecer mudanças, parou de reclamar, isto é um indício de que pode não se importar tanto quanto se importava, e a falta de importância não é boa, distancia sentimentos.

Por exemplo, a esposa sempre reclamou da falta de romantismo e de atitude do marido, e sem mudanças, deixou de reclamar. Para o marido pode estar confortável, superficialmente, mas se pararmos para analisar, é algo que com certeza vai contar como ponto negativo para a harmonia do casal.

Esses itens são apenas alguns que percebo que estão presentes quando há um desgaste no relacionamento, e que se não der a devida atenção, é possível destruir o casamento ao ponto de uma separação.

Casamento é sociedade, e deve ser vivenciada como tal!

As dificuldades surgem, e o casal não casa sabendo como planejar e resolver problemas juntos. Apenas na vivência, conforme as situações forem surgindo, que o casal precisa estar atento para identificar, analisar, e buscar uma solução, juntos!

Ao casal, que apesar dos grandes desafios, continuam acreditando no valor do casamento, reconstruam, busquem ajuda, caso necessário, de uma terapia de casal, mas não deixem este desgaste se prolongar até um divórcio.

Grande abraço.

Adriana Visioli

Leia também...

Deixe um comentário