As Olimpíadas e o mês de agosto

Dizem que agosto é o pior mês. Nenhum feriado, 31 dias. É o mês depois das férias de julho e está longe de tudo: do começo do ano, das próximas férias e ainda temos um semestre inteiro pela frente para cumprir com as nossas obrigações.

Neste ano, a questão do “agosto é o pior mês do ano” tem levado um revés: as Olimpíadas. As pessoas tem acompanhado os jogos de forma efusiva e o sentimento de “o Brasil tem jeito” depois de assistir à cerimônia de abertura foi grande.

Somos um país belo e cheio de cultura: temos uma identidade forte, colorida, feliz e hospitaleira. Conseguimos receber de forma bela todo o mundo. Por isso, celebrar o diferente, cultivar nossa cultura e aprimorá-la com o melhor que há nas culturas de outros lugares, é o que nós fará sermos cada vez mais educados, conscientes e tolerantes.

O mês de agosto nunca esteve tão animado e emocionante, obrigado Olimpíadas.

Cinema

No livro “Cinema: o mundo em movimento” de Inácio Araujo, o autor afirma que o cinema “é uma arte de colaboração”. Araujo diz isso ao abordar a relação do roteirista com o diretor de um filme. Para mim, não só o cinema é uma arte de colaboração, como também a vida. Colaborando uns com os outros, vivemos melhor. Pensando nisso, o

6º Festival de Cinema Polonês

é uma sugestão para conhecer melhor a cultura do país europeu. Com 6 longas e 6 curtas, o Festival traz produções de 2012 e 2015. Desde 2009, o Festival tem como objetivo, nesta sexta edição, destacar novos talentos e de apresentar obras contemporâneas.

Cinemateca – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco

http://migre.me/uDHcG

Pensando nas Olimpíadas e na sua essência de criar mitos, superar barreiras e unir cada vez mais as nações enter si, o filme

Paratodos

pode ser interessante para os apaixonados pelos jogos. O filme de Marcelo Mesquita conta a trajetória de alguns atletas paralímpicos que compõe a delegação brasileira, em algumas modalidades, dos jogos do Rio 2016. Além de abordar temas como superação, alegrias, obstáculos do dia-a-dia, o documentário propõe a questão da inclusão dos deficientes físicos na sociedade. Corre porque domingo é o último dia de exibição!

Cine Guarani – Avenida República Argentina, 3430

Exposição & Cinema

Mais do que a arte pela arte, a reação de quem se encanta com qualquer tipo de expressão artística, é muito importante. Alegria, nostalgia, arrepio, inspiração. E sobre as inspirações, todos os artistas as tem, vindas de qualquer lugar. Desde uma pessoa, até uma cidade ou uma outra obra de arte. Neste sentido a

Exposição “Esquadrão Suicida”

traz desenhistas (tanto ilustradores como caricaturistas) de Curitiba para representar os personagens dos vilões da DC. Promovido pela Gibiteca de Curitiba, você pode contemplar diversas técnicas de desenho e ainda assistir ao filme depois. Lembrando que o longa levou 2 milhões de brasileiros aos cinemas na sua semana de estreia.

Ps: Eu amei a trilha sonora.

IMAX Palladium – Avenida Presidente Kennedy, 4121 – Portão

Curitiba & Gastronomia

Que Curitiba se tornou um dos polos cervejeiros mais importe do país, eu acho que você já sabe. Mas que Curitiba ganha um tour de cerveja chamado de

Beer Tour Curitiba

eu acho que você ainda não sabia. Programado para acontecer em todos os sábados, a ideia é conhecer algumas das cervejarias artesanais da capital. Como a Bier Hoff, Bodebrown, Nashville e Swamp. O primeiro tour aconteceu neste sábado e as inscrições já estão abertas para as próximas visitas. No preço está incluso a alimentação, o transporte, degustação de chopp e guia. Bem interessante para os amantes da cerveja.

Beer Tour Curitiba – (41) 3501-2746

http://migre.me/uDH9b

Gastronomia & Música

“Fairy tales can come true
It can happen to you
If you’re young at heart”

  • Frank Sinatra (Young At Heart)

Para mim, não existe “música de verdade”. Julgar que certa banda, álbum, gênero ou estilo fez ou faz música de verdade é algo injusto. Milhares de cantores, bandas, músicas e gêneros tem suas belezas, peculiaridades e sons que podem tocar o coração de qualquer um. Sobre gosto não se discute, se respeita.

Jazz, blues, bossa-nova e alguns outros gêneros mais, me fazem uma pessoa mais feliz. Então, para ouvir um bom jazz o bar

Dizzy Café

está aqui para agradar os curitibanos. Com uma gastronomia deliciosa, drinks gostosos, música boa e preço justo, o lugar me conquista toda a vez. É bom reservar uma mesa porque o lugar não é tão grande. Mas é lindo, o piano perto das mesas nos faz ter o instrumento como acompanhante – alguém em nossa mesa.

 Rua Treze de Maio, 894 – São Francisco

http://migre.me/uDH9Y

Literatura

Não adianta apenas viver em um mundo globalizado. É preciso descobri-lo todos os dias. É comum em cerimônias de abertura das Olimpíadas nós dizermos coisas como “nem sabia que este país existia”. E dessa vez no Rio não foi diferente.

Não digo que isto é um problema, mas pode se tornar se não nos interessarmos em pesquisar e descobrir os novos mundos que temos em nosso próprio planeta, seus modos de vida e possibilidades.

Para essa volta ao mundo do desconhecido, recomendo o

20 Mil Léguas Submarinas – Jules Verne

um livro que nos faz ir ao Pacífico, ao Índico, Mediterrâneo, corrente do Golfo… Uma viagem dentro e fora dos oceanos que nos cercam.

Realmente vivemos em mundo maravilhoso. O importante é saber apreciar todas as possibilidades que ele tem a nos oferecer. Seja no cinema, com o Festival polonês ou com a exposição de desenhos inspirada no filme blockbuster americano, as diferentes cervejas não de longe mas daqui da nossa cidade e a música, que nos une e agrada nossa alma e nossos ouvidos.

O mês de agosto pode ser maravilhoso não só em 2016 quando temos Olimpíadas, mas em todos os anos se soubermos ver na nossa cidade as diferentes culturas do mundo. É no saber olhar que trazemos o bem-estar.

Eduardo Martinesco.

Leia também...

Deixe um comentário