Alimentação na Lactação

Depois de nove meses gerando o bebê, pode-se até pensar que o corpo vai ganhar uma folguinha e descansar de tanta agitação. Mas isso não acontece nem de perto. No próximo semestre, a mulher começa a desempenhar a importante tarefa de produzir o alimento que vai deixar o filho(a) bem nutrido: o leite materno.

Muitas mulheres tendem a seguir uma alimentação restrita em calorias durante a lactação para que possam atingir o peso pré-gestacional o mais rápido possível. O que muitas mulheres não se dão conta é que a produção de leite requer um gasto energético considerável.

A alimentação da mãe tem um papel decisivo. Além de não consumir bebida alcoólica e alguns tipos de medicamentos, é preciso se alimentar da maneira mais natural e saudável possível. Segue abaixo algumas recomendações e orientações para esta fase tão importante:

RECOMENDAÇÕES E ORIENTAÇÕES NUTRICIONAIS NA LACTAÇÃO

  • Aumentar a ingesta de fibras alimentares;
  • A ingesta de líquidos deve ser feita nos intervalos das refeições, nunca durante;
  • Sorvete ou picolé prefira os de frutas ou os light (sem açúcar e sem gordura);
  • As verduras e legumes crus são mais ricos em minerais, vitaminas e fibras. Lembre-se que eles devem estar devidamente higienizados, se tiver dúvida da procedência dos alimentos evite e da próxima vez leve de casa;
  • Não deixe de fazer qualquer refeição;
  • Mastigar bem os alimentos;
  • Para adoçar os alimentos de preferência ao açúcar (mascavo, demerara), se caso for contra indicado, utilize adoçantes artificiais naturais, como o Stévia, que não possui sacarina e aspartame. Estes componentes apresentam controvérsias para sua indicação durante a gestação e amamentação, portanto é melhor evitá-los;
  • Tomar sol ajuda na produção de Vitamina D – auxilia na fixação do cálcio nos ossos.
  • Hidrate-se: principalmente durante o período em que você estiver amamentando seu filho, tome muita água! Além de hidratar o corpo, este hábito também ajuda na produção de leite. Então, tenha sempre por perto uma garrafinha de água mineral (eu já deixava na mesinha de apoio, ao lado da cadeira de amamentação, e a enchia novamente a cada mamada)!

Atenção:

  • Alimentos com enxofre (repolho, brócolis, feijão, etc) deve ser consumido, pois são ricos em ferro, não há comprovação científica que justifique a restrição total do consumo destes alimentos. Na prática, sempre oriento as mães a ficarem atentas a esse tipo de situação, no caso, a mãe percebeu que quando come algo específico seu filho tem com cólicas. Então sugiro que retire TEMPORARIAMENTE da alimentação e após uma semana faça o teste novamente. Se caso o teste for positivo, oriento as mamães a substituir este alimento, por outro que seja similar em nutrientes e energia.

O que deve ser evitado 

  • Evitar as frituras. Prefira as preparações assadas, grelhadas;
  • Retirar as gorduras e as peles das carnes antes do preparo;
  • Evite doces. Escolha frutas secas a vontade, escolha doces de frutas, feitos com pouco açúcar e despreze a calda;
  • Evite quantidade abusiva de sal;
  • Cafeína: a ingestão de cafeína pela mãe faz com que o leite materno tenha quantidades dessa substância. A cafeína faz com que o bebê fique sem sono e irritado e, por isso, a melhor opção é restringir alimentos que contenham cafeína e optar pelos alimentos descafeinados. Alimentos que contém cafeína são: café, chás (mate, verde), chocolates (cacau), refrigerantes.
  • Bebidas alcoólicas: podem comprometer a produção de leite materno e, além disso, o álcool passa para o bebê através do leite. Durante a amamentação, a orientação é excluir as bebidas alcoólicas da alimentação.
  • Evite alimentos industrializados: eles são cheios de corantes e produtos químicos maléficos, por isso, consuma alimentos caseiros, frescos e naturais. Essa regra também vale para as frutas, legumes e verduras: sempre que puder, prefira os orgânicos. Os outros, comuns, possuem alto índice de agrotóxico e podem ser prejudiciais para a mãe e o bebê (o morango é um dos campeões em agrotóxicos, sabia?).
  • Jamais faça dieta restritiva nesse período: não é indicado fazer dieta enquanto você estiver amamentando. Lembre-se de que você precisa estar saudável para produzir mais leite. Aposte em uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes – a recomendação é que as lactantes consumam cerca de 2500 calorias por dia. E não se preocupe: naturalmente a amamentação já é uma boa forma de perder peso, pois o gasto calórico do corpo da mãe é imenso!

É importante lembrar que a produção de leite será maior, quanto maior for a frequência de amamentação. A qualidade da alimentação da mãe influencia a qualidade do leite. Estimular a amamentação e ter os cuidados com a alimentação citados fará com que a mãe dê ao filho o principal e melhor alimento nos primeiros meses de vida: o leite materno.

Imagem “Seu filho é o que você come” da Sociedade de Pediatria do RS

Então, se alimente da forma mais natural e saudável possível. Descasque mais e desembale menos 😉

Beijos da Nutri.

© As imagens que ilustram esse post são da campanha “Seu filho é o que você come” da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul.

Leia também...

Deixe um comentário