Adoçantes Artificiais – A amarga realidade

Os adoçantes artificiais surgiram na tentativa de “adoçar a nossa vida” sem as tão temidas calorias do açúcar, logo em seguida, as prateleiras dos mercados ficaram inundadas de produtos lights e diets (agora chamados de “fit” também). Mas parece que não é tão fácil assim enganar o nosso corpo. Com o passar do tempo as pessoas que consumiram esses produtos com frequência não emagreceram como era esperado e atualmente a ciência tem relacionado o uso de adoçantes artificiais ao aumento de peso, entre outras doenças. 🙁

adoçantes-engordam

Pesquisas mostram que os adoçantes artificiais podem fazer as pessoas sentirem mais fome (e consequentemente comerem mais), ter episódios de compulsão alimentar, sentirem mais vontade de comer doces e até ganhar mais peso do quem que consome o próprio açúcar.  😯

As evidencias sugerem que isso acontece porque os adoçantes artificiais causam um desequilíbrio na flora intestinal (bactérias boas x bactérias ruins) e isso atrapalha a comunicação entre o cérebro e o intestino, o que altera a produção de hormônios que geram a sensação de saciedade. O sabor do doce é sinalizado através das papilas gustativas, mas a energia (calorias) que vem junto com ele não chegam no intestino para serem absorvidas, então o corpo não se sente realmente satisfeito e você continua com fome.

adoçantes-artificiais

Além disso, cada tipo de adoçante tem seus próprios efeitos colaterais. Vou citar alguns exemplos.

Aspartame: De longe é um dos adoçantes mais “polêmicos”. Seu consumo pode causar efeitos diretos e indiretos no cérebro. Alguns sintomas relatados: dor de cabeça, tontura, mudança de humor, convulsões, perda da memória, fadiga e até síndrome do pânico. Existem pesquisas que também dizem que o aspartame tem pode causar alguns tipos de câncer. As pessoas com fenilcetonúria, que não possuem a enzima para metabolizar a fenilalanina, não podem consumir aspartame.

Ciclamato de Sódio: Ele normalmente é usado em combinação com a sacarina nos produtos industrializados. Em 1969, seu uso foi proibido nos Estados Unidos pelo FDA (Food and Drugs Administration), pois segundo estudos a associação da sacarina com ciclamato foi considerada indutora de câncer de bexiga em ratos. Entretanto em 1977, o comitê cientifico internacional de especialistas em aditivos alimentares aprovou o uso do ciclamato em mais de 40 países.

adoçantes-artificiais-malfícios

Sucralose: Seu consumo vem sendo associado a anormalidades neurológicas, câncer, alterações na flora intestinal e nos níveis de glicose e insulina.

Acessulfame K: Deve ser evitado por quem  tem distúrbios renais que precisam controlar a ingestão de potássio.

Sacarina Sódica: Assim como o ciclamato e o acessulfame K, deve ser consumida com moderação por pessoas com hipertensão arterial.

adoçantes-2

Mas se os adoçantes artificiais podem causar todos esses efeitos negativos porque eles são liberados?

Porque existem doses consideradas seguras para o consumo humano. Alguns estudos são feitos usando doses muito maiores do que as recomendadas, ou são feitos em ratos e nessa hora é possível argumentar que o resultado em seres humanos pode ser outro.

Minha opinião: Vale a pena arriscar a sua saúde quando existem outras substancias mais seguras no mercado? Com toda a certeza não. Sem falar que o aspartame e a sucralose estão ocultos em mais de 3 mil alimentos comuns, como doces, bebidas e gomas de mascar. Assim fica complicado controlar a quantidade consumida, não é mesmo? Outro ponto a ser levado em consideração é que alguns estudos são patrocinados pelas próprias empresas que produzem os adoçantes visando resultados que não desencorajem as pessoas a consumi-los. Infelizmente isso acontece sim, gente.

adoçantes-artificiais-ae

Então fica aqui a minha dica, evite os seguintes adoçantes artificiais:

Aspartame, sacarina, ciclamato de sódio, sucralose e acessulfame K. Sempre olhe com atenção nos INGREDIENTES dos produtos para verificar a presença deles. Cuidado com os refrigerantes, sucos, chás, caldas, molhos, balas e até aquele chicletinho “fit” que você tem o hábito de consumir para enganar a fome ou a vontade de comer um doce. Tente observar se aquele produto “zero” que você consome para não engordar, na verdade não está fazendo você sentir vontade de comer mais.

adoçantes-zero

♦♦♦♦ Só pra vocês terem ideia, até a stévia pode ser vendida associada com esses adoçantes e você só vai saber olhando nos ingredientes. E caso você decida usar algum dos adoçantes artificiais citados acima, sempre tenha moderação e não esqueça que você pode já estar consumindo eles em outros produtos do seu dia a dia.

adoçantes-artificiais-adocyl

Boas alternativas para substituir os adoçantes artificiais são:

Stévia, taumatina ou polióis como o xilitol, eritriol, maltitol e sorbitol. Vou falar melhor sobre cada um deles na matéria da semana que vem.

Lembrando que o assunto será adoçantes naturais e não açucares, ok pessoal? Posso falar sobre os tipos de açúcar em outra oportunidade. Espero ter ajudado, beijos e até segunda que vem 🙂

Leia também...

Deixe um comentário

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.